MilitaresBrasil-

31/12/2014 - BOAS FESTAS, FELIZ 2015!





MUITO FELIZ, FELIZ
QUE VENHA 2015!

DESEJO A TODOS,
MUITA PAZ, SAÚDE E SUCESSO.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

30/12/2014 - Acareação entre subtenente do Exército e esposa tem protesto no 16° DP

Com cartazes, grupo reivindica Justiça para filho do casal, que morreu envenenado ao ingerir chumbinho. Militar negou acusação da mulher, que manteve versão de agressãoO subtenente do Exército Francilewdo Bezerra Severino, 45, e sua mulher, Cristiane Renata Coelho, passaram por acareação na manhã desta segunda-feira, 22. Na entrada do 16º Distrito Policial (Dias Macedo), um grupo de cerca de 50 pessoas pediu justiça ao filho do casal, de apenas 9 anos, que morreu envenenado ao ingerir chumbinho. 


Francilewdo e Cristiane prestaram depoimento em salas separadas e depois foram confrontados na acareação. O irmão do militar, Francélio Bezerra, disse ao O POVO que a "justiça será feita, pois o irmão é inocente". A Polícia ainda vai realizar a reconstituição do crime às 16 horas desta segunda-feira, 22, na residência do casal, no bairro Dias Macedo.
O militar e a mulher chegaram ao local acompanhados de seus advogados. O inquérito durou mais que o tempo previsto e o casal deixou o local por volta das 15 horas. A acareação foi conduzida pelo delegado Wilder Brito Sobreira e o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), Jairo Pequeno.
Em novembro, o subtenente Francilewdo Bezerra Severino foi autuado em flagrante, acusado de ter envenenado e matado o filho após agredir a esposa. Conforme o depoimento de Cristiane à Polícia, ele teria obrigado a mulher a ingerir overdose de medicamentos, fazendo o mesmo em seguida numa tentativa de suicídio. 

Em coma, o militar foi autuado em flagrante por homicídio, lesão corporal e pela Lei Maria da Penha e ficou internado, sob escolta, no Hospital do Exército. Dias depois, a Polícia descobriu que a criança ingeriu chumbinho. Ao sair do coma, Francilewdo negou que tivesse matado o filho durante depoimento de quatro horas à Polícia Civil. Em 3 de dezembro, o subtenente teve a prisão preventiva revogada pela Justiça.

Além do esclarecimento das duas versões, a Polícia deve tentar confrontar a origem de um depoimento postado no Facebook, que cita ainda um suposto amante de Cristiane.
Relembre os fatos:
Dia 11/11. O subtenente Francilewdo Bezerra Severino foi autuado em flagrante, pois teria envenenado e matado o próprio filho, após agredir a esposa. Ele teria obrigado a mulher a ingerir uma overdose de medicamentos, fazendo o mesmo, em seguida, numa tentativa de suicídio. Autuado em flagrante por homicídio, lesão corporal e pela Lei Maria da Penha no 11º DP, no Panamericano, ele é mantido sob escolta no Hospital Geral do Exército Brasileiro.

Dia 12/11. Caso é transferido para o 16º DP e a Polícia descobre que a página do militar na rede social Facebook, onde ele teria publicado um depoimento informando que cometeria os crimes, foi atualizada em um momento em que ele já estava em coma. Celular do subtenente estava com a esposa, que viajou para Recife (PE), sua cidade natal, onde o filho Lewdo Ricardo Coelho Severino foi enterrado.

Dia 18/11. A Polícia descobre que o garoto de 9 anos teria ingerido veneno para ratos (chumbinho), ao invés de remédios.

Dia 19/11.
 Cristiane Renata Coelho, 41, mantém a versão de que ela teria sido obrigada pelo marido a ingerir uma alta dosagem de medicamento tarja preta, assim como o filho do casal que morreu. 
Dia 20/11. Francilewdo Bezerra Severino acorda do coma induzido, mas ainda está inconsciente.

Dia 24/11. Francilewdo Bezerra Severino começa a recuperar a consciência. Polícia aguarda laudo médico para ouvir o militar.

Dia 28/11. Francilewdo Bezerra Severino presta depoimento de quatro horas à Polícia, no Hospital Geral do Exército Brasileiro. Durante o interrogatório, ele nega as acusações de que teria envenenado e matado o próprio filho, de 9 anos, e espancado a esposa.

Dia 03/12.
 Francilewdo Bezerra Severino tem prisão preventiva revogada pela Justiça.
Dia 12/12. Internado há mais de um mês após ingestão de veneno para ratos (conhecido como “chumbinho”), o subtenente recebe alta médica.
FONTE: Redação O POVO Online com inormações da repórter Angélica Feitosa
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
30/12/2014 - Mulher de tenente diz que deu voz de prisão por 'descaso': 'Fui humilhada'

30/12/2014 - Mulher de tenente diz que deu voz de prisão por 'descaso': 'Fui humilhada'

Ela e o marido chegaram atrasados no portão de embarque para Curitiba.

Polícia apura o caso; funcionário nega chacota e diz que foi agredido.

FONTE: Raquel Morais Do G1 DF
A assistente de saúde Claudilene de Castro, impedida de pegar um voo emBrasília nesta segunda (29) com o marido por chegar ao portão de passageiros após o término do embarque, afirma que foi ela quem deu voz de prisão a dois funcionários da TAM que barraram o casal.  Ela e o marido, que é tenente da Aeronáutica, viajariam para Curitiba (PR). Claudilene diz que eles só foram informados em cima da hora sobre a mudança no portão de embarque. A Polícia Civil investiga a história.
Em depoimento à corporação, o casal afirmou que o funcionário fez chacota da situação deles e agiu com descaso. Claudilene disse ainda que o homem pegou papéis da mão dela, que comprovariam que o bilhete dela apontava o portão 29 e não o 19 como o correto para embarque. O funcionário nega ter se excedido com a mulher e diz que foi agredido pelo casal.
Um áudio e um vídeo feitos por Claudilene mostram parte do impasse. No primeiro, ela pergunta ao supervisor se ele não vai resolver o problema dela e depois questiona a falta de respostas. Por fim, pede ao marido que chame a polícia (ouça abaixo). No vídeo, ela diz ao funcionário que ele não pode sair do local e tem que aguardar a chegada da polícia (veja acima).
"[Cheguei] Dentro do limite de tempo dos 15 minutos que constam no bilhete do chek-in e fui para o portão 29. Aguardei minha vez na fila e fui surpreendida pela informação de que não seria ali o meu embarque", conta a assistente de saúde. "No 19, o senhor Renan [funcionário da TAM] disse que nada faria porque só eu e meu marido não tínhamos chegado. Fui humilhada e constrangida."
Ainda segundo Claudilene, as passagens haviam sido compradas há quatro meses. "É justamente por não haver punição da empresa em relação a esses exageros que todos os dias vemos consumidores lesados. Tivemos nosso direito cerceado. Fomos impedidos de ir e vir."
Os dois foram os únicos dos 163 passageiros a não embarcar no voo. Em nota, a TAM afirmou nesta segunda que o funcionário agiu conforme as orientações da empresa. A empresa também disse que não teve acesso às imagens.
Procurada pelo G1, a Força Aérea Brasileira disse que ainda não tinha sido oficialmente informada sobre o caso. Por isso, afirmou, não podia comentar o assunto.
A Polícia Federal chegou a dar suporte, depois de ser acionada pela administração do aeroporto. Os envolvidos foram ouvidos na 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul) e liberados em seguida.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
29/12/2014 - Aprovado projeto sobre trânsito de forças estrangeiras no Brasil

29/12/2014 - Aprovado projeto sobre trânsito de forças estrangeiras no Brasil


FONTE: AGÊNCIA SENADO

Da Redação | 17/12/2014, 19h17 - ATUALIZADO EM 17/12/2014, 19h21 

Os senadores aprovaram em Plenário nesta quarta-feira (17) projeto de origem do Executivo que determina os casos em que forças estrangeiras podem transitar ou permanecer em território brasileiro (PLC 34/2014 - Complementar). A proposta facilita, por exemplo, a autorização do ministro da Defesa para que aeronaves militares estrangeiras sobrevoem o país.
O projeto altera a Lei Complementar 90/1997 com a justificativa de que o uso atual de “forças estrangeiras” generaliza o termo. Hoje são consideradas forças estrangeiras “o grupamento ou contingente de força armada, bem como o navio, a aeronave e a viatura que pertençam ou estejam a serviço dessas forças”.
Muitas vezes o ingresso de grupos de força armada, navios, aviões ou viaturas com fins pacíficos, situação que é rotineira, é proibido, principalmente no caso de aeronaves. No entanto, esse ingresso pode ocorrer por convite do governo brasileiro a fim de aperfeiçoar o trabalho das Forças Armadas.
Com a mudança o termo ganha uma nova definição, sendo consideradas forças estrangeiras o “módulo armado de emprego operacional marítimo, terrestre ou aéreo”. A matéria vai à sanção presidencial.
O senador Luiz Henrique (PMDB-SC), relator ad hoc da matéria na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), disse em Plenário que o projeto ajusta a legislação brasileira à realidade mundial.
— Dá velocidade, desburocratiza os pedidos para sobrevoo em território nacional, e mesmo aterrissagem de aeronaves estrangeiras, tendo em vista a expansão das relações multipolares.
Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/12/2014 - Homem que postou fotos no Facebook vestindo farda do exército cometeu crime militar

A pena é de 30 dias de detenção, com base no artigo 172 do CPM.
FONTE:  JUSBRASIL, Publicado por Danielli Xavier Freitas
 
O plenário do STM manteve a condenação de um civil que postou fotos em seu perfil do Facebook em que vestia, indevidamente, um uniforme militar. O homem foi condenado à pena de 30 dias de detenção, com o benefício do sursis pelo prazo de dois anos.
O artigo 172 do CPM define como crime o uso indevido de uniforme, distintivo ou insígnia militar a que não tenha direito. Segundo o STM, o jovem teria se passado por um 2º tenente na rede social e mantinha diversas fotografias em seu perfil nas quais aparecia usando as peças, que são de uso privativo do exército. Além disso, ele se identificou como filho do chefe do Estado-maior da 4ª Brigada de Infantaria Motorizada, com o intuito de obter vantagens.
A defesa pediu a absolvição do réu, alegando a atipicidade de conduta por ausência de dolo, e com base nos princípios da insignificância e intervenção mínima. No entanto, a maioria dos ministros da Corte seguiu o entendimento do relator do processo, ministro José Barroso Filho, que não acolheu o apelo da defesa. Para o magistrado, tanto a autoria como a materialidade do delito ficaram comprovadas por meio de prova testemunhal e documental, bem como a presença de todos os elementos caracterizadores do delito, descrito no artigo 172 do CPM.

A presença do dolo também ficou comprovada segundo Barroso Filho, como a vontade clara, livre e consciente do acusado de se passar por militar, pela utilização indevida do uniforme. Para o relator, "nem mesmo os argumentos defensivos de que a conduta do acusado foi 'mera brincadeira', invocando os princípios da intervenção mínima e da insignificância, merecem melhor sorte". Ele argumentou que, levando em conta a intensidade do dolo e as circunstâncias que caracterizaram a conduta, configura-se perfeitamente a efetiva lesão ao bem jurídico tutelado: a autoridade militar.

Processo: 0000018-54.2013.7.04.0004 - MG
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
29/12/2014 - Helibras entrega ao Exército quatro primeiros Fennec modernizados

29/12/2014 - Helibras entrega ao Exército quatro primeiros Fennec modernizados

FONTE: CAVOK por: Fernando Valduga em Brasil

Helicópteros fazem parte de contrato que envolve 36 aeronaves da Força. (Foto: Felipe Christ / Helibras)
Helicópteros fazem parte de contrato que envolve 36 aeronaves da Força. (Foto: Felipe Christ / Helibras)A Helibras entregou recentemente os quatro primeiros AS550 A2 Fennec e AS350 L1 Esquilo da Aviação do Exército que passaram por um processo de reconstrução e modernização na fábrica da empresa, em Itajubá (MG). Os helicópteros fazem parte do contrato de modernização dos 36 Fennec e Esquilo da Força. Três delas devem ser reconstruídas e modernizadas e outras 33 serão somente modernizadas.

As aeronaves receberam a Certificação Militar pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial e Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (DCTA/IFI) para o pacote de modernização desenvolvido pelo Centro de Engenharia da Helibras que será aplicado em todas as unidades.
Os helicópteros possuem novo glass cockpit, piloto automático de dois eixos, novos sistemas de comunicação e navegação, sistema de back up digital, compatibilização da iluminação interna e externa com óculos de visão noturna, bancos com absorção de energia e ajuste em altura, proteção balística, novos braços, suporte para armamento e degraus alongados.
Entre os novos itens incorporados, alguns foram produzidos no Brasil ou oferecem suporte técnico local para o operador. “Trabalhamos junto com o Exército para buscar fornecedores brasileiros capazes de propor tecnologia de última geração para os sistemas implantados e também que ofereçam apoio e manutenção com a mesma expertise e qualidade de seus países de origem”, diz Wilmer Filho, responsável pelo programa na Helibras.
Entre os sistemas produzidos e/ou com suporte local podemos citar: glass cockpit, pela AEL Sistemas; sistema de Piloto Automático, pela Sagem Defesa Aeronáutica; sistema digital de intercomunicação, pela Becker Avionics do Brasil; alguns rádios Nav-Com, pela Rockwell Collins; e proteção balística, pela BCA.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

28/12/2014 - Restruturação dos soldos dos militares

CLICAR NA IMAGEM PARA SER DIRECIONADO
FONTE: PORTAL E CIDADANIA
http://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaopropostaaudiencia?id=15161

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

28/12/2014 - ENTREVISTA COMANDANTE DO 9º DISTRITO NAVAL

ENTREVISTA COMANDANTE DO 9º DISTRITO NAVAL
O Exército grita Selva!, mas na Amazônia eu digo Água!
Comandante do 9º Distrito Naval, o vice-almirante revela em entrevista que a Marinha irá fazer um dos mais importantes trabalhos para o desenvolvimento do Estado, o levantamento cartográfico e a sinalização do rio Madeira

FONTE:  ARIQUEMESONLINE: Publicado Domingo, 28 de Dezembro de 2014, às 08:47 | Fonte A Crítica - GERSON SEVERO DANTAS
A principal missão da Marinha Brasileira é operar/mobilizar o chamado Poder Naval contra os inimigos externos, mas na Amazônia os “homens de branco” não se limitam a esperar pela guerra e cumprem uma missão secundária importantíssima na região que concentra a maior bacia hidrográfica do planeta.
 
Trata-se da administração, organização e controle do transporte aquaviário, hoje considerado essencial para o desenvolvimento local. No comando do 9º Distrito Naval, que tem jurisdição sobre os Estados da Amazônia Ocidental, o vice-almirante Domingos Sávio Almeida Nogueira, um paulista que está em Manaus há pouco mais de um ano e nove meses, compara esse papel da Força Naval ao de um Departamento Estadual de Trânsito, que licencia os veículos e habilita os condutores; e também ao da Polícia Federal, pois combate o crime flagrado em nossas estradas de água, água cuja abundância encanta o comandante em sua primeira experiência Amazônia.
 
“O Exército grita Selva, como forma de cumprimento, mas poucos entram e  vivenciam a selva. Aqui eu digo Água! porque é por ela que correm as riquezas e as pessoas dessa região”, compararou  nessa entrevista na qual revelou ainda que o comando Naval e o Departamento Nacional de Infraestrutura em Transporte (Dnit) estão na bica de assinar um termo de cooperação para que a Marinha faça a carta náutica e implante a sinalização na hidrovia do rio Madeira, no trecho entre Porto Velho e a foz no rio Amazonas. Confira os principais trechos.
 
A missão primordial da Marinha é operar o Poder Naval contra os inimigos, mas na Bacia Amazônica quais outras funções ganham relevo?
 
Na Amazônia não temos estradas ou ferrorivas, os rios são nossas estradas. Nesse sentido a Marinha age como um Detran dessas vias, inscrevendo e registrando as embarcações, habilitando os condutores, um serviço que está crescendo muito com a criação no ano passado do Centro de Formação de Fluviários. Este ano, por exemplo, formamos 1.873 fluviários em Manaus, pessoas que ganharam uma profissão e estão habilitadas a conduzir da canoa à embarções regionais. Nós, então, fazemos o ordenamento do tráfico fluvial e, como uma Polícia Federal, fiscalizamos tudo que diz respeito ao transporte nos rios.
 
 
Fale um pouco sobre o trabalho na hidrovia do rio Madeira?
 
Estamos para assinar um  termo de comparação que   dentro da Marinha já passou por todas as instâncias e no Dnit está sob análise dos assessores jurídicos. É um termo  no valor de R$ 40 milhões para serem usados em quatro anos. Nós vamos elaborara a Carta Náutica do  Madeira, num trecho de 1,076  quilômetros entre Porto Velho e a foz, no rio Amazonas, em Itacoatiara. E o que é essa carta náutica? Bem, faremos o levantamento hidrográfico para conhecer a batimetria do rio, ou seja saber a profundidade da lâmina d’água em todos os pontos do rio, mostrando o canal de navegação com um grau de 90% de confiabilidade. Isso vai garantir a segurança aos usuários do transpor fluvial pelo Madeira. Além desse levantamento hidrográfico, vamos também implementar  a sinalização  do rio e indicar  os pontos em que deveremos intervir para melhorar a navegação, ou seja onde será preciso fazer dragagens, o que ficará ao encargo do Dnit.
 
Quais meios a Marinha possui para fazer este trabalho?
 
Temos três navios hidro-oceanográficos fluviais equipados com ecobatímetros. O mais moderno deles foi recebido agora, em Fortaleza, no último dia 17, o navio Rio Branco. Esse navio desloca até 500 toneladas e foi equipado, além do ecobatímetro normal, de monofeixe de luz, com um  ecobatímetro de multifeixe, que se arrasta pelo leito do rio e produz imagens em 3D. Além de captar dados da profundidade, do relevo, ele também nos permite a obtenção de dados ambientais que serão importantes para o Censipam, o Centro de Gerenciamento do Sistema de Proteção da Amazônia (CenSipan). O navio Rio Branco,  além dos equipamentos de ponta, vai navegar com uma equipe especializada formada por engenheiros e cartógrafos, comandado por um capitão de fragata. Tudo isso vai subsidiar de informações o Serviço de Sinalização Náutica do Noroeste.
 
Qual a importância econômica desse trabalho no rio Madeira?
 
Primeiro quero mostrar uma comparação. Vamos fazer todo o trabalho numa hidrovia de 1.076 quilômetros por R$ 40 milhões, em quatro anos. Para se fazer uma rodovia na Amazônia, cada quilômetro sai por R$ 1 milhão. Vejam então a vantagem de investirmos em hidrovias. Segundo, toda a riqueza que circula no Amazonas passa pelo Madeira. Por ele navega  o segundo maior comboio de transporte de carga do mundo, o da Hermasa, trazendo soja  até o terminal graneleiro de Itacoatiara. Esse comboio tem 270 metros de comprimento e 44 metros de boca, sendo capaz de transportar 32 mil toneladas de soja com apenas um empurrador. Para transportar tudo isso por rodovia seriam necessários mais de mil caminhões, o que elevaria o custo enormemente, além de não termos que derrubar uma única árvore para fazer estrada. Esse é um trabalho estratégico para o País.
 
Como está sendo essa experiência de comandar a Marinha aqui na Amazônia?
 
 O general Villas-Boas (Eduardo, ex-Comandante Militar da Amazônia) tem uma frase exemplar: “A Amazônia está distante do brasileiro, o brasileiro não conhece como ela é e a trata como uma colônia distante”. E é verdade, eu não conhecia a Amazônia, ela tem peculiaridades, tem a água, água dá vida. É um patrimônio valioso do Brasil.
 
Como tem sido a atuação da Marinha no combate a crimes transnacionais na zona de fronteira, como o narcotráfico?
 
A lei nos garante poder de polícia na faixa de 150 quilômetros a partir da fronteira e nela temos agido no combate a esses crimes, principalmente em operações conjuntas, como recentemente na Operação Ágata 8, na Operação Parintins quando fazemos questão de estabelecer parcerias com outros órgãos de Estado.
 
Em números
 
22.807 fluviários  estão habilitados pela Marinha para trabalhar nos mais diferentes tipos de embarcações na Amazônia, segundo registro na Capitania dos Portos da Amazônia Ocidental.
 
 35.810 embarcações  estão registradas na Capitania. Na avaliação do comandante Domingos Sávio estes números não refletem a realidade encontrada nos rios da Amazônia.
 
Perfil Domingos Sávio
 
Idade: 62
Nome: Domingos Sávio Almeida Nogueira
Estudos: Graduado em Guarda Marinha em 1978
Experiência: É Vice-Almirante de Esquadra. Foi comandante dos navios Abrolhos, Triunfo e Ceará. Foi assessor no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, diretor do Centro de Comunicação Social da Marinha , Comandante do 6º Distrito Naval , Comandante da Força de Superfície e diretor de Pessoal Militar da Marinha. Atualmente é  Comandante do 9º Distrito Naval, com sede em Manaus.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

28/12/2014 - A nova Cuba embarca pelo porto de Mariel

Moderno terminal inaugurado em janeiro com financiamento do BNDES parece uma ilha dentro da ilha. Comporta área com estrutura ágil e eficiente para exportação e importação de mercadorias. 

FONTE: clickrbs por Rodrigo Lopes, enviado especial a Cuba

Ao final de 44 quilômetros desde Havana, a estrada muda de aspecto. O que era um caminho esburacado, cheio de solavancos, passa a ser uma autoestrada de asfalto impecável com duas pistas duplas. Máquinas trabalham em grandes anéis viários e mudas de palmeiras acrescentam um toque colorido ao cenário cinzento de obra recém acabada. São os primeiros sinais de que o visitante está aproximando-se da maior obra construída em Cuba desde a Revolução de 1959: o novíssimo porto de Mariel.
Erguida pela brasileira Odebrecht em parceria com a cubana Quality, com cerca de US$ 800 milhões financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a estrutura colossal surge do lado oposto ao antigo terminal da Baía de Mariel. Esse, bem menor, permanece em operação e segue à risca a cartilha socialista. Em um de seus muros está escrito: "Artemiseños ao combate com Fidel" (referência à província de Artemisa, onde fica Mariel) e imagens de Ernesto Che Guevara estão próximas dos portões.
Nos arredores do novo porto, ao contrário, não há sinais de socialismo. Há pressa, há máquinas, há dinheiro. E até poderíamos esquecer, por alguns minutos, de que estamos em Cuba.
Subproduto da construção do terminal, a nova rodovia vai ligar o porto à Autopista Nacional, que corta o país. Paralela à estrada, por onde passam, por enquanto, poucos caminhões e quase nenhum carro particular, corre também uma recém inaugurada ferrovia. No acesso ao terminal, cujas operações estão a cargo da empresa PSA, de Cingapura, movimentam-se carros da polícia, exército e veículos novos de uma brigada de incêndio.
É um dos lugares mais seguros da ilha e tão sofisticado quanto os maiores terminais do Caribe, os de Kingston (Jamaica) e de Freeport (Bahamas).
O carro com a reportagem chega no máximo até os portões da área portuária. Logo, é interceptado por um dos mais de 40 seguranças cubanos no local. Imprensa não pode entrar sem autorização especial do governo. À distância, é possível observar a estrutura, pouco movimento de carga e apenas um navio de bandeira não identificada.
Área especial para atrair empresas
Questionada pela oposição no Brasil – que vê sintonia ideológica entre o governo do PT e o dos irmãos Castro – e motivo de controvérsia durante a campanha devido às cifras do empréstimo, Mariel ganha novos significados a partir da retomada das relações diplomáticas entre EUA e Cuba.
A Flórida fica a 140 quilômetros daqui. O governo brasileiro espera, com a suspensão do embargo, ser lembrado pelo regime cubano entre os parceiros de primeira ordem. As exportações brasileiras para a ilha quadruplicaram na última década, chegando a US$ 447 milhões (neste ano até novembro), alçando o Brasil ao terceiro lugar na lista de parceiros da ilha.
O porto será acompanhado de uma Zona Especial de Desenvolvimento Econômico criada nos moldes das existentes na China. Ali, ao contrário do que ocorre no resto do país, as empresas poderão ter capital 100% estrangeiro. Tamanha estrutura tem potencial para mudar, senão toda a ilha, pelo menos em boa parte a vida dos moradores de Mariel.
Por enquanto, esse otimismo passa ao largo do povoado.
– Os brasileiros já se foram, e também se foi o dinheiro – diz Helena, atendente de um restaurante simples, de gestão estatal, próximo ao mar.
Durante a construção do terminal portuário, era comum o trânsito de engenheiros da Odebrecht pelo povoado, onde há apenas um pequeno banco, um mercado e uma padaria. Helena os via pelas ruas, mas não os recebia em seu estabelecimento porque os funcionários almoçavam em restaurantes que tinham contrato com a empreiteira.
– Os brasileiros contratavam um motorista por US$ 500 ao mês. Hoje, voltou a ser o que era, o cidadão cubano não ganha nem US$ 50 para fazer esse serviço 
– acrescenta.
Outro morador, identificado como Domingos, diz que os investimentos em melhorias de estrutura se dão apenas fora da cidade, na rodovia e na ferrovia. A afirmação pessimista contrasta com o movimento de máquinas que consertam a rua principal do povoado.
– Mas o senhor tem esperança de que vai melhorar? – insisto.
– Só vendo, estamos esperando – responde.
Enquanto esperam, os moradores de Mariel têm como principal fonte de renda o trabalho em uma termelétrica e uma fábrica de cimentos da região.

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

28/12/2014 - Libertado após 9 meses de sequestro, brasileiro distribui cestas de Natal

Arlan Fick, de 17 anos, foi refém de guerrilheiros por 267 dias.

Neste sábado (27), ele distribuiu 100 cestas natalinas em favela paraguaia.

O adolescente de 17 anos ficou 267 dias na mõas de guerrilheiros.
Libertado na noite de Natal (25), Arlan Fick, de 17 anos, filho de brasileiros nascido noParaguai, distribuiu neste sábado (27) 100 cestas natalinas para famílias que moram em uma região de favela em Concepción, a 470 km da capital Assunção. O pai do jovem, Álcido, ajudou o rapaz na distribuição.
brasileiro foi libertado pelos guerrilheiros do Exército do povo Paraguaio (EPP) a cerca de 40 km de sua casa. O adolescente foi capturado na propriedade rural de sua família, na cidade de Paso Tuyá, departamento de Concepción, no norte do país, um município onde vivem cerca de 75 famílias, a maioria imigrantes brasileiros dedicados à agricultura. Foram 267 dias de drama longe da família, quase nove meses.
O rapaz publicou em seu perfil no Facebook imagens de sua volta para casa. Na rede social, ele agradeceu as orações de amigos e familiares.
Na sexta-feira (26), já em casa, Fick disse ter sido bem tratado pela guerrilha.
Durante o sequestro, ocorreu um enfrentamento armado entre a guerrilha e as forças de segurança do Paraguai, que terminou com a morte de um militar e de dois integrantes do EPP, enquanto os guerrilheiros conseguiram escapar com o jovem.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/12/2014 - Esposa de subtenente do Exército procura o advogado

Ela e o militar são os principais suspeitos do assassinato do filho do casal, Lewdo Ricardo, de 9 anos. Os depoimentos dos envolvidos são totalmente divergentes
Cristiane Renata Coelho - esposa do subtenente Francilewdo Bezerra Severino - procurou o advogado Paulo Quezado para defendê-la. Ela e o militar são os principais suspeitos do assassinato do filho do casal, Lewdo Ricardo, de 9 anos. Os depoimentos dos envolvidos são totalmente divergentes, conforme o delegado Wilder Sobreira, titular do 16º Distrito Policial (DP) e responsável pelo caso.

De acordo com Paulo Quezado, Cristiane fez um contato com o advogado direto de Recife, onde permanece desde o início do caso. "Vou analisar o inquérito para ter um posicionamento", disse Quezado ao O POVO Online.
Segundo ele, ainda não houve assinatura de contrato. Paulo terá acesso ao inquérito nesta terça-feira, 9.

delegado Wilder Sobreira prepara uma acareação entre o subtenente e a esposa. Com o procedimento, ele vai colocar os pais do garoto frente a frente para comparar os depoimentos.

Em depoimento à Polícia, Cristiane manteve a versão de que ela teria sido obrigada pelo marido a ingerir uma alta dosagem de medicamento tarja preta, assim como o filho do casal que morreu. Após sair do coma, o militar negou as acusações.

Relembre os fatos:
Dia 11/11. O subtenente Francilewdo Bezerra Severino foi autuado em flagrante, pois teria envenenado e matado o próprio filho, após agredir a esposa. Ele teria obrigado a mulher a ingerir uma overdose de medicamentos, fazendo o mesmo, em seguida, numa tentativa de suicídio. Autuado em flagrante por homicídio, lesão corporal e pela Lei Maria da Penha no 11º DP, no Panamericano, ele é mantido sob escolta no Hospital Geral do Exército Brasileiro.

Dia 12/11. Caso é transferido para o 16º DP e a Polícia descobre que a página do militar na rede social Facebook, onde ele teria publicado um depoimento informando que cometeria os crimes, foi atualizada em um momento em que ele já estava em coma. Celular do subtenente estava com a esposa, que viajou para Recife (PE), sua cidade natal, onde o filho Lewdo Ricardo Coelho Severino foi enterrado.

Dia 18/11. A Polícia descobre que o garoto de 9 anos teria ingerido veneno para ratos (chumbinho), ao invés de remédios.

Dia 20/11. Francilewdo Bezerra Severino acorda do coma induzido, mas ainda está inconsciente.

Dia 24/11. Francilewdo Bezerra Severino começa a recuperar a consciência. Polícia aguarda laudo médico para ouvir o militar.

Dia 28/11. Francilewdo Bezerra Severino presta depoimento de quatro horas à Polícia, no Hospital Geral do Exército Brasileiro. Durante o interrogatório, ele nega as acusações de que teria envenenado e matado o próprio filho, de 9 anos, e espancado a esposa.

Dia 03/11. Francilewdo Bezerra Severino tem prisão preventiva revogada pela Justiça.
FONTE: OPOVO
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/12/2014 - Pesquisadores realizam travessia inédita pelo interior da Antártica

Pesquisadores farão a primeira travessia científica brasileira na parte central do continente gelado.
Crédito: Divulgação/MCTI
MCTI financia expedição por 1,4 mil quilômetros do continente gelado, a fim de coletar dados e reconhecer território para módulo científico.
Quatro pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) embarcam neste domingo (28) de Porto Alegre rumo à cidade chilena de Punta Arenas. O grupo seguirá viagem de avião para a geleira Union, ponto de partida de uma travessia de três semanas e 1,4 mil quilômetros pelo interior da Antártica, a bordo de caminhonetes adaptadas à neve, com três eixos e tração nas seis rodas. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) financia a expedição.
Segundo o glaciologista Jefferson Simões, líder da equipe, trata-se da primeira travessia científica brasileira na parte central do continente gelado. "Essa missão requer uma preparação logística que demonstra o amadurecimento do Programa Antártico Brasileiro [Proantar]", avalia o pesquisador, que é diretor do Centro Polar e Climático da UFRGS e coordenou a elaboração do plano de ação Ciência Antártica para o Brasil, lançado em maio e válido até 2022.
No trajeto, previsto para durar até o fim de janeiro, o grupo planeja coletar amostras de neve e gelo. O objetivo é gerar dados para avaliar impactos da ação humana sobre a atmosfera nos últimos 50 anos, como a presença de substâncias poluentes na superfície do continente, além de mapear e preparar o local para a instalação do módulo científico Criosfera 2, estrutura similar ao Criosfera 1, primeira plataforma de pesquisas do Brasil no centro da Antártica.
Simões explica que uma das frentes da pesquisa busca conferir se há certos tipos de fuligem depositados no interior do continente. "Já existe algum transporte de subprodutos de queimadas de florestas, como o carbono negro, entre a América do Sul e a Antártica? Nós não sabemos", diz. "A questão é: será que chega? E se chegar, a proporção é danosa, qual é a proporção? O que mais preocupa a comunidade glaciológica é que isso escurece a superfície e pode mudar a proporção de energia refletida de volta e aumentar o aquecimento. O manto de gelo absorveria mais calor e, assim, derreteria mais."
Módulos
A expedição passa pelo Criosfera 1, posto latino-americano mais próximo do Polo Sul geográfico, instalado em 2011. De acordo com o glaciologista, neste momento, cinco pesquisadores coletam material e realizam a manutenção técnica do módulo – estrutura que, no restante do ano, opera automatizada e envia dados por satélite ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI), sem acompanhamento humano e movida a energia eólica e solar. No inverno, os termômetros já registraram 65 graus Celsius (ºC) negativos.
Prevista para o verão de 2015 a 2016, a montagem do Criosfera 2 deve ocorrer em um raio de cerca de 20 quilômetros, dentro de trecho a ser reconhecido durante a travessia, a 2,2 mil metros de altitude. Conforme esclarece Simões, o ponto escolhido deve coincidir com o topo da bacia de drenagem de gelo que se divide entre os mares de Amundsen, a sudeste do Pacífico, e de Weddell, mais próximo ao Atlântico. "A região, portanto, pega os finais das duas áreas continentais", destaca. "Nós temos interesse por esse local porque provavelmente seja muito sensível a pequenas variações climáticas que ocorrem nos dois oceanos, mas não sabemos ao certo."
Embora o módulo Criosfera 1 tenha registrado a menor temperatura até o momento (-65ºC), Simões acredita que o Criosfera 2 vá conviver com condições climáticas ainda mais severas, pela altitude de 2,2 mil metros, diante de 900 metros do primeiro módulo, e pela dificuldade de acesso. "Parte desse caminho é inédita, ninguém andou por lá, apenas sobrevoou de avião", conta o glaciologista, que espera enfrentar –30ºC no manto do gelo a ser percorrido.
Desafio
O grupo deve deixar Punta Arenas em direção à geleira Union em 5 de janeiro, por meio de uma aeronave Ilyushin 76, adaptada para pousar em pistas de gelo. De lá, com duas caminhonetes Toyota Hylux 6x6, reforçadas na tração e dotadas de pneus largos, eles rodam 520 quilômetros até o Criosfera 1, de onde partem para outra viagem, de 650 quilômetros, com destino ao monte Johns, região do Criosfera 2. Já no fim do mês, os pesquisadores retornam ao ponto inicial.
Para Simões, o principal problema de segurança a ser enfrentado pela equipe da travessia são as possíveis fendas no trajeto, que estão sendo monitoradas por sensoriamento remoto, com objetivo de evitar esses trechos. "Os buracos são muito largos e representam risco se a gente anda de carro ou a pé, mesmo a alguém que sai caminhando na frente ou andando de esqui", comenta. "Então, fazemos ciência, mas tem também um aspecto aventureiro."
Formam o quarteto de pesquisadores junto ao diretor do Centro Polar e Climático da UFRGS o engenheiro químico Felipe Lindau, o doutorando em Geologia Luciano Marquetto e o químico Ronaldo Tomar Bernardo. Também integram a expedição terrestre dois motoristas e um guia montanhista.
A travessia científica, a montagem do Criosfera 2 e a manutenção do Criosfera 1 até fevereiro de 2016 estão garantidos por recursos da Coordenação para Mar e Antártica do MCTI. As atividades integram o Proantar, com apoio da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Secirm).
FONTE:  MCTI
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

26/12/2014 - Paraná: ​Soldados e cabo do Exército ficam feridos em acidente


A colisão foi registrada a poucos metros do viaduto Santa Paula

Com informações de A Rede, em Tribuna do Norte 
Foto: ANDRÉ MEIER

Três soldados e um cabo do Exército Brasileiro ficaram feridos após um grave acidente registrado na avenida Visconde de Taunay, em Ponta Grossa. A colisão aconteceu por volta das 12h de hoje e deixou o trânsito lento no local – o Volkswagen Gol em que as vítimas estavam bateu violentamente contra a traseira de um caminhão. As informações são de "A rede".
A colisão foi registrada a poucos metros do viaduto Santa Paula, no sentido bairro-centro – um dos rapazes chegou a ficar preso às ferragens. O Corpo de Bombeiros identificou duas das vítimas como Marcos Edim Seligim, 23 anos, e Felipe Antonio Ferreira Pinto,19.
As vítimas trabalham no 3º Regimento de Carros de Combate do Exército, o 3º RCC. As Forças Armadas devem publicar uma nota oficial sobre o incidente das próximas horas.

FONTE: TNONLINE
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/12/2014 - NOTA DE REPÚDIO À NOMEAÇÃO DO NOVO MINISTRO DA DEFESA

NOTA DE REPÚDIO À NOMEAÇÃO DO NOVO MINISTRO DA DEFESA
Nada pode ser tão ruim que não possa piorar para a família militar, que acabou de ganhar um “cestão Fu%$#@&*” de Natal da PresidANTA Dilma : o anúncio do ex-governador do estado da Bahia Jaques Wagner para ocupar a pasta do Ministério da Defesa. Wagner iniciou sua atividade política em 1969 no movimento estudantil, quando foi presidente do diretório acadêmico da Faculdade de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ). Entretanto, em 1973, Jaques Wagner passou a ser perseguido pelo governo militar e teve que abandonar o curso de Engenharia, que nunca completou e sair do Rio de Janeiro. No ano seguinte mudou-se para Salvador e ingressou na indústria petroquímica no polo de Camaçari, no litoral da Bahia. Lá Wagner se tornou técnico em manutenção. Começou a atuar no Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Petroquímica (Sindiquímica-BA), do qual foi diretor e presidente de 1987 a 1989. Conheceu Luís Inácio Lula da Silva num congresso de petroleiros e, em 1980, ingressou no Partido dos Trabalhadores (PT). Nessa época, foi um dos fundadores do PT e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no estado da Bahia. Este cidadão é petista de carteirinha, amigo de Lula e cabo eleitoral de Dilma e eles ODEIAM os militares em geral! Pesquisem como este cidadão tratou policiais e professores quando estes fizeram greve na Bahia! O governo estadual os tratou tão mal durante as negociações, que até o vereador Marco Prisco, líder da greve dos Policiais, chegou a ser preso por lutar por melhores condições de trabalho.
Na verdade, o que mais me impressiona é a passividade ( $$$$$$ ? ) com que o Estado Maior das Forças Armadas aceita esse nome para comandar um ministério tão importante para o país e para a família militar. Será que suas atenções estão voltadas para este dia 25 de dezembro, com relação às suas promoções e transferências, onde vão conseguir “levantar” um dinheirinho para pagar suas dívidas nos empréstimos, cartão de crédito e trocar de carro? Já passou da hora de nossos comandantes e chefes ( Oficiais ) ACORDAREM , se ainda têm algum amor à farda, à bandeira e ao seu país.
Fica aqui a pergunta:
Será que nossos Comandantes Militares (General Enzo Peri, Brigadeiro Saito e Almirante Julio Soares) ainda terão a cara de pau de continuar fazendo parte deste desgoverno e traindo a TROPA e seu país? Vão continuar se perpetuando no poder?
Desejo para todos um FELIZ NATAL.
Att
Marcelo Machado
Presidente da ANMB


Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/12/2014 - Atual governador da Bahia, Jaques Wagner será ministro da Defesa

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso
Atual governador da Bahia, Jaques Wagner vai assumir o Ministério da Defesa a partir de 1º de janeiro de 2015. O petista foi ministro do Trabalho e Emprego durante o primeiro governo Lula. Em 2005, assumiu a função de ministro das Relações Institucionais, em meio à crise política que resultou nas denúncias sobre o mensalão. Também coordenou a Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República. Jaques Wagner nasceu em 1951, no Rio de Janeiro, onde cursou engenharia civil, na Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ). Na universidade, presidiu o Diretório Acadêmico e, em 1973, perseguido pelo regime militar, deixou o curso e o Rio de Janeiro, indo para Salvador em 1974. Trabalhando na indústria petroquímica, Wagner começou a atuar no movimento sindical, onde, na década de 1980, conheceu Luiz Inácio Lula da Silva. Participou da criação do Partido dos Trabalhadores (PT) e foi o primeiro presidente do partido na Bahia.
Em 1990, Jaques Wagner foi eleito para a Câmara dos Deputados pelo PT baiano, cargo para o qual foi reeleito em 1994 e 1998. Na Câmara, foi líder da bancada do PT e vice-líder entre 1993 e 1998. Em 2000, disputou a Prefeitura de Camaçari e, em 2002, foi candidato ao governo da Bahia. Em 2006, Wagner foi eleito governador da Bahia em primeiro turno, definindo a área social como prioridade e reforçando os programas federais de transferência de renda. Em 2010, foi reeleito, também em primeiro turno. Wagner deixa o  governo da Bahia no fim deste ano. Em seu lugar, assume Rui Costa, também do PT.

FONTE: AGENCIABRASIL
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

Papo Verde Oliva

Pesquisar

NOTÍCIAS DO SITE

Total de visualizações de página

Insira o seu endereço de email, É GRÁTIS

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

OBRIGADO PELA INSCRIÇÃO

FIQUE BEM INFORMADO - AS MAIS LIDAS