MilitaresBrasil-

30/06/2015 - Plenário: acidente de carro que envolve militares não invoca automaticamente a competência da Justiça Militar

Em sessão de julgamento desta semana, o Plenário do Superior Tribunal Militar decidiu, por unanimidade, declinar a competência da Justiça Militar da União para processar e julgar um crime de homicídio culposo, previsto no artigo 206 do Código Penal Militar (CPM). O caso envolvia três militares da ativa: o motorista que provocou um acidente automobilístico ao sair embriagado de uma festa de confraternização na 2ª Companhia de Fuzileiros do 10º Batalhão de Infantaria Leve, e as duas vítimas: um soldado que sofreu lesões corporais e um soldado que morreu após o acidente. Segundo a sentença da Auditoria de Juiz de Fora, a competência para julgar o caso seria da Justiça Comum, pois “o homicídio culposo na direção de veículo automotor, ainda que cometido por militar da ativa contra outro militar da ativa, quando ocorre em via pública, em veículo particular e fora do horário de expediente, não deve ser julgado pela Justiça Castrense”. O Ministério Público Militar entrou com recurso contra a decisão de primeira instância para que o STM recebesse a denúncia em desfavor do motorista do carro. Para o MPM, a condição de militar da ativa, tanto do acusado quanto da vítima, seria suficiente para a caracterização do delito como de natureza militar, nos termos do art. 9º, inciso II, alínea “a”, do CPM. No entanto, para o relator do recurso, ministro Artur Vidigal, a competência da Justiça Militar da União se reserva às hipóteses nas quais o crime ocorra no interior do quartel, entre militares em serviço ou de efetivo serviço e, até mesmo fora da área sob a administração militar, mas que estejam no cumprimento de suas atribuições legais. “Para que a conduta protagonizada por um militar da ativa contra outro militar da ativa seja considerada crime militar, nos termos do art. 9º, inciso II, alínea “a”, do CPM, deve ter como motivação o exercício das atribuições legais de um ou de outro ou relação com os fundamentos de hierarquia e disciplina”, afirmou o relator. O ministro Artur Vidigal destacou que a festa de confraternização foi um evento meramente social, sem natureza militar e sem qualquer relação com o serviço, não podendo, portanto, ser considerada uma atividade funcional. O fato de os custos da festa terem sido totalmente arcados pelos próprios militares reforça ainda mais o caráter social do evento, indicou o magistrado. “Assim, em que pese a condição de militar da ativa de todos os envolvidos no delito, não tendo ele sido praticado em razão dessa condição e nem pelos preceitos que envolvem a rotina castrense, não há que se falar em crime de natureza militar”, concluiu o relator. Com a decisão, o inquérito policial militar que apurou a responsabilidade pelo acidente deverá ser encaminhado à Justiça comum estadual.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

30/06/2015 - Agora em frente ao Congresso em Brasilia

Concentração em Brasilia em frente ao Congresso. Familia Militar na luta pelos direitos perdidos PL 2215 e muitos outros...
 Onde  representantes de várias categorias discutem com o deputado Daciolo quais as demandas a apresentar ao Ministro da defesa.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

30/06/2015 - Orientação - Reconhecimento do local da prova

A orientação é uma das cinco modalidades que fazem parte dos Jogos Desportivos do Exército 2015. Militares de todo o Brasil estão competindo em percursos médios e longos, em provas para atletas de ambos os sexos. Nesta terça-feira, os atletas realizaram o reconhecimento do local da prova.
 Comissão de Desportos do Exército.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

30/06/2015 - Cabo morre ao colidir moto na traseira de caminhão

Cabo do exército morre após acidente de trânsito na Avenida Costa e Silva O motociclista foi encaminhado ao necrotério do IML para procedimento de necropsia e posterior liberação aos familiares.
(Foto: Enrique Alliana e Reportagem: Portal Cidade)
No inicio da noite de quinta-feira (25), por volta das 19h:00, socorristas do Siate (Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergência) do Corpo de Bombeiros de Foz do Iguaçu foram acionados para deslocarem até a Avenida Costa e Silva, em frente ao Motel Monza, para darem atendimento a um acidente de trânsito envolvendo uma motocicleta e um caminhão da Vital.
No local foi constatado que o caminhão Mercedes Benz / Accelo, modelo 1016, placas AYE-6665, da cidade de Curitiba/PR, conduzido Cleverson Correa, caminhão este que realiza a limpeza de vias, trafegava em baixa velocidade no canteiro central da avenida, quando limpava o canteiro central, quando o motociclista que pilotava a motocicleta Honda / CG Titan, modelo 150cc, de placa AQP-6440, de Foz do Iguaçu acabou colidindo na traseira do caminhão.
Com a chegada dos socorristas no local, a vítima já se encontrava em parada cardiorrespiratória, sendo imediatamente acionado apoio médico, sendo realizado RCP (Ressuscitação Cárdio Pulmonar) por aproximadamente 20 minutos, porem devido ao trauma em diversas partes do corpo, inclusive na cabeça, a vítima não resistiu aos procedimentos e faleceu no local.
O local foi isolado pela Guarda Municipal até a chegada do Plantão de Acidentes do 14º BPM, da Policia Cientifica e o Instituto Médico Legal. Com a chegada da perita criminal o local de morte foi periciado, sendo o motociclista identificado como sendo o cabo do exercito brasileiro Andre Felipe Machado da Silva, de 19 anos de idade.
O motociclista "CB Andre" do 34º BIMEC (Batalhão de Infantaria Mecanizado) de Foz do Iguaçu foi encaminhado ao necrotério do IML para procedimento de necropsia e posterior liberação aos familiares.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
30/06/2015 - Ocupação Maré, último dia...

30/06/2015 - Ocupação Maré, último dia...

 Ocupação das Forças Armadas no Complexo da Maré acaba hoje
Brasília, 30/06/2015 – A partir desta terça-feira (30), 2,5 mil militares das Forças Armadas (500 homens do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha e 2 mil do Exército Brasileiro) passarão o comando da Força de Pacificação (Operação São Francisco) do Complexo da Maré para a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, dando prosseguimento ao processo de resgatar a paz na região.
Após 14 meses de ocupação, as Forças Armadas, em atuação conjunta com o poder público, deixam um legado para desarticular facções criminosas e alavancar as condições de cidadania para uma população composta por 140 mil pessoas que habitam na Maré.
Foto: Divulgação Exército Brasileiro
As tropas realizaram 550 apreensões de drogas e 58 de armas e 3.884 munições
As tropas realizaram 550 apreensões de drogas e 58 de armas e 3.884 munições
Segundo dados da Chefia de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (ECMFA) do Ministério da Defesa, até a última quarta-feira (24), as tropas federais realizaram a prisão de 553 adultos e a detenção de 254 menores de idade. Além disso, foram feitas 550 apreensões de drogas e 58 de armas e mais 3.884 munições recolhidas.
Houve, ainda, a apreensão de 60 veículos, 89 motos e outros 436 materiais diversos. Foram abertos 106 autos de prisões em flagrantes e realizadas 121 detenções por crime militar.
De acordo com o chefe do EMCFA, general José Carlos De Nardi, os militares desempenharam a missão com bravura, sempre respeitando os direitos da população local e criando condições para a retomada da área pelas organizações de segurança pública do Rio de Janeiro. "Apesar das dificuldades e óbices próprios da Operação São Francisco, no Complexo da Maré, o esforço das Forças Armadas contribuiu para melhorar a segurança pública no Rio de Janeiro."
Durante a Operação, foram mobilizados, em um só momento, até 3,3 mil militares. A Força de Pacificação fez uso intensivo de viaturas blindadas para o patrulhamento da área. A Aeronáutica realizou o transporte de pessoal, equipamentos e material de diversas regiões do país para atender às necessidades operacionais da tropa.
A Força Aérea Brasileira (FAB) também colocou em atividade o seu Sistema Aéreo Remotamente Tripulado (SARP), que empregou um vant. Em certas ocasiões, foram utilizadas até 300 viaturas em apoio a missões.
Para os militares, a ocupação da Maré é considerada um conflito moderno. Uma guerra irregular, sem fronteiras, com inimigo difuso.
Legado
O Disque-Pacificação recebeu cerca de 3 mil informaçõesOutro grande avanço que contribuiu para a redução da violência no Complexo foi o auxílio do Disque-Pacificação. Com o serviço telefônico, as tropas contaram com o apoio da comunidade, que repassou cerca de 3 mil informações que contribuíram para prisões de criminosos.
Foto: Divulgação Exército Brasileiro
O Disque-Pacificação recebeu cerca de 3 mil informações
Também em parceria com órgãos governamentais, entre eles, a Justiça Itinerante, foram realizadas ações cívico-sociais como casamentos, registros, emissão de documentos, além da regularização do recolhimento de lixo, a retirada de centenas de carcaças de veículos de locais públicos e desobstrução de ruas.
Essas ações estão permitindo a circulação dentro da Maré, a construção de escolas e projetos de melhorias no esgotamento sanitário. A Força de Pacificação realizou 12 ações sociais, totalizando aproximadamente 13 mil atendimentos.
Desde o início da Operação São Francisco, em abril de 2014, a taxa anual de homicídios na região da Maré caiu de 21,29 para 5,33 mortes por 100 mil habitantes.

Operação São Francisco
As Forças Armadas foram autorizadas a entrar no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, a partir do dia 5 de abril de 2014, em apoio às forças de segurança pública estaduais.
Na época, a diretriz ministerial nº 9 orientou o emprego das tropas em missão de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), conforme pedido feito pelo, então, governador Sergio Cabral.
O processo de retirada dos homens da Marinha e do Exército teve início no dia 1º de abril deste ano, com término em 30 de junho.
Por determinação da Presidência da República e atendendo à solicitação do governo do Estado do Rio de Janeiro, a Operação São Francisco foi prorrogada por mais quatro vezes.
A área na qual as forças militares foram empregadas, no Complexo da Maré, ficou restrita especificamente nas comunidades: Praia de Ramos, Parque Roquete Pinto, Parque União, Parque Rubens Vaz, Nova Holanda, Parque Maré, Conjunto Nova Maré, Baixa do Sapateiro, Morro do Timbau, Bento Ribeiro Dantas, Vila dos Pinheiros, Conjunto Pinheiros, Conjunto Novo Pinheiro – Salsa & Merengue, Vila do João e Conjunto Esperança.
 Por Alexandre Gonzaga -Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

30/06/2015 - Corre galera último dia, alistamento militar 30 de junho

É Hoje, 30 de junho, é o último dia para o alistamento. Não perca o prazo! Fique em dia com o #ServiçoMilitar. em: SERMIL,
 Serviço Militar  tire suas dúvidas: aqui
Alistamento vai até junho e é obrigatório para homens que completam 18 anos no ano corrente. Informe-se sobre o serviço militar

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Em Picos, Operação Carro-pipa já distribuiu 150 pipas de água

O município de Picos está entre os 152 municípios piauienses que decretaram estado de emergência devido ao prejuízos provocados pela estiagem. As chuvas que caíram neste ano, e que somam quase 300 milímetros de água, foram insuficientes para preencher os reservatórios da região. Uma das medidas que vem sendo utilizadas para amenizar os efeitos da seca do município, é a Operação  Carro-pipa, que leva água aos povoados da zona rural de Picos.
A operação é uma parceria do Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil, com o Exército Brasileiro. segundo dados da Defesa de Picos, só neste primeiro semestre de 2015,  foram distribuídas 150 pipas de água, um total de 1.200 mil litros de água.
Oliveiro Luz, coordenador da Defesa Civil de Picos – Foto: Ascom
O coordenador da Defesa Civil de Picos, Oliveiro Luz, destaca que esta quantidade foi insuficiente para atender a demanda da população picoense. “Mesmo contando com os dois carros-pipa do 3º BEC, não conseguimos atender a todos. Distribuímos água na Chupada do Mucambo, Custaneira, Serra do Tanque, Juaí, Chapada do Fio e Três Potes, mas a demanda é maior”, disse Oliveiro Luz.
Outro fator que tem contribuído para esta situação, é que o caminhão-pipa PAC 2, pertencente ao município não está sendo utilizado na Operação. O veículo se encontra em poder da  Secretaria de Agricultura.

Fonte: Riachão Net, Edição: Geysa Silva - portalodia
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - PJM Brasília consegue na Justiça suspensão de empenho para compra de capacetes não aprovados

 A juíza-federal da 16ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal – TRF 1ª Região, Cristiane Pederzolli Rentzsch, deferiu pedido liminar do Ministério Público Militar e determinou a suspensão do pagamento de notas de empenho do Exército, no valor de R$ 35 milhões, para o pagamento de capacetes balísticos não aprovados em teste. A Procuradoria de Justiça Militar em Brasília havia ajuizado ação cautelar inominada objetivando a suspensão desses pagamentos até a conclusão do inquérito. Há indícios de prática de crime militar, com descumprimento do edital e da Lei de Licitações. A decisão judicial interrompe a continuidade dessa provável ilegalidade. Em outubro de 2014, a PJM Brasília recebeu uma representação anônima, contra o Exército Brasileiro, narrando irregularidades em dois processos de licitação para compra de coletes e capacetes balísticos. Foram então instaurados dois procedimentos investigatórios. A ação cautelar é referente ao Pregão Eletrônico 1/2014, realizado pelo Comando Logístico de Brasília — DF (COLOG), para a aquisição de capacetes balísticos . De acordo com as investigações, os capacetes licitados eram do nível III.A e deveriam, segundo as normas do National Institute of Justice (NIJ), proteger o usuário de tiros de .9mm e .44 Magnum. Entretanto, o laudo dos capacetes, Relatório Técnico Experimental (RETEX) 2578/10, aprovado pelo Centro de Avaliações do Exército (CAEX), apresenta a seguinte observação: “Nos tiros de .44 Magnun, o capacete apresentou grandes deformações, inclusive na placa testemunho, sem no entanto perfurá-la”. Apesar do laudo apontar que os capacetes estavam em desacordo com as normas internacionais do NIJ, eles foram aprovados e o Exército deu continuidade ao processo licitatório. Como explica o MPM no documento, “se a deformação atingiu a placa testemunho, logo, a força do impacto alcançaria o centro do cérebro do usuário do capacete, com poder de eliminar a sua vida, como se houvesse ocorrido perfuração. É por essa razão que se utiliza placas testemunho nesses testes, para revelar imediatamente a imprestabilidade do material em tal situação, pois fica demonstrado a transferência total do impacto para dentro do cérebro”. Membros do MPM foram ao Centro de Avaliações do Exército (CAEX) para verificar os capacetes submetidos ao teste de resistência. Contudo, dias depois, ao analisar fotos do RETEX 2578/10, perceberam que o capacete testado não era aquele apresentado pelo Exército, havia algumas diferenças. No dia 11 de maio de 2015, o MPM requisitou a instauração de Inquérito Policial Militar para aprofundar as investigações. Até então, as compras desses capacetes pelo Exército não haviam superado o valor de R$ 4,5 milhões. Entretanto, logo após a abertura do IPM, em 14 de maio de 2015, foi emitido um empenho de R$ 12,5 milhões para a compra de capacetes e, em 22 de maio de 2015, outro empenho, também para a compra de capacetes foi publicado, este no valor de R$ 22,6 milhões. Ressalte-se que quando os empenhos foram publicados, o Exército já tinha conhecimento da requisição para instauração do IPM e das investigações. Além disso, há uma representação no TCU sobre essa licitação, processo 00000027-77.2014.2101, ainda não julgado. “Ainda assim, com todas essas investigações, sem esperar pelo resultado do inquérito e do julgamento do processo no TCU, o Exército, açodadamente, empenhou vultosas quantias, R$ 12.582.604,00 e 22.604.360,00, na compra de capacetes que não atendiam ao que estava especificado no edital de licitação”, escrevem os membros do MPM. Para o MPM, os requisitos para concessão da medida cautelar são evidentes: o laudo do próprio Exército atestando a inconformidade do capacete e a proximidade da efetivação do pagamento dos valores expressivos já empenhados, aproximadamente R$ 35 milhões. “Caso não haja a imediata suspensão do pagamento desses empenhos, de nada adiantará eventual sentença penal condenatória, que dificilmente conseguirá repor os efeitos financeiros funestos da ilegalidade que está sendo praticada com essa aquisição totalmente em discordância com o interesse público. Ao contrário, a medida cível que se pleiteia terá a força de prevenir a sangria dos cofres públicos e abrir o caminho para a tramitação da ação criminal com a certeza de que não será uma providência vazia, sem eficácia”, justifica o MPM na ação. Na decisão, a juíza afirma que as provas apresentadas pelo MPM lançam dúvidas “se tais equipamentos estão cumprindo as normas e protegendo a vida dos militares”. Por essa razão, foi deferido o pedido liminar para suspender o pagamento dos empenhos.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Treinamento de Busca e Resgate em MS

A Base Aérea de Campo Grande (BACG), esta realizando a partir desta segunda-feira (29) até domingo (5), o Exercício Operacional C-SAR, de Busca e Salvamento em Combate, em Campo Grande. Esta atividade visa treinar mais de 600 militares para situações reais de busca e salvamento em combate com helicópteros e aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Estarão participando deste treinamento cerca de 140 militares de MS e demais Estados brasileiros, em helicópteros que ficam em bases em Manaus (AM), Porto Velho (RO), Belém (PA), Rio de Janeiro, Santa Maria (RS) e de Campo Grande. O Chefe de Estado Maior da Força Aérea Brasileira, coronel Eduardo Rodrigues, comentou que este treinamento é seguro e que a população não se preocupe, já que os aviões deverão fazer voos verticais pela cidade, de Campo Grande até Aquidauana. “Na tarde de hoje (29) já começou este treinamento de resgate de pilotos, é um treinamento especifico em proteção ao território brasileiro. Se a população vir as aeronaves pela cidade, não se preocupe, são voos verticais, e são só um treinamento, em que a base de Campo Grande foi escolhida pela FAB. Todos os pilotos são bem treinados para este procedimento”. Segurança e Resgate - Os militares treinam especificamente ejetamento em aeronaves, que apresentem caso de pousos forçados, acidentes aéreos e abate de inimigos. Os militares terão simulação de resgate e salvamento também durante a noite, usando óculos de visão noturna. Os militares utilizarão durante os treinamentos em MS aeronaves como H-34 Super Puma, H-36 Caracal, H-60 Black Hawk, AH-2 Sabre, H-1H. “Teremos aviões norte-americanos e russos durante os exercícios. Também vamos testar um avião de asa fixa da Espanha, que é utilizado para voos rasantes usado em opeações”, comenta coronel Rodrigues. Visitação - A população de Campo Grande poderá conhecer os aviões utilizados na operação, bem como apresentações de paraquedismo, rapel, encontro de carros antigos, voo panorâmico, entre outras opções. A entrada é gratuita. 
diariodigital fotos: Victor Chileno

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Exército em AUSTRÁLIA OPEN DE TAEKWONDO

"O Exército Brasileiro foi muito bem representado no Austrália Open de Taekwondo nos dias 26 e 27 de junho, na cidade de Melbourne. Participaram do evento os 3º Sargentos Iris Tang, Julia Vasconcelos, Raphaella Galacho, Josiane Lima e Lucas Ferreira.
A 3º Sgt Raphaella Galacho conquistou a medalha de bronze, após vencer a atleta francesa Maeva Mellier, por 5 a 2.
A competição serviu de preparação para a equipe das Forças Armadas para os 6º Jogos Mundiais Militares.
Vale ressaltar que todas as atletas de Taekwondo que conquistaram vaga para representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto são militares do Exército Brasileiro". Créditos: divulgação.
Comissão de Desportos do Exército.

 
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Coronel Diderot: Não admito indisciplina

9º Batalhão  "Carlos Camisão" irá abrir sindicância para apurar conduta de militar.
No dia 22 de junho um soldado de 21 anos do 9º Batalhão de Engenharia e Combate “Carlos Camisão”, foi preso pela Polícia Militar de Anastácio por desacato e desobediência a ordem policial. Segundo boletim de ocorrência, durante ronda na Vila Assuí, o jovem foi abordado para revista de rotina, quando resistiu e passou a agredir verbalmente os policiais.

No momento do ocorrido, imediatamente um oficial do Batalhão Carlos Camisão compareceu a delegacia para acompanhar os procedimentos.

A reportagem do Site O Pantaneiro procurou o Comandante do 9º BE Cmb, Coronel José Diderot Fonseca Júnior, para saber sobre as medidas que serão tomadas referente à conduta do militar. Ele foi enfático em dizer que preza pelo bom relacionamento da Polícia com o Exército e que caminham pelos mesmos pilares da hierarquia e disciplina.

“As duas forças caminham juntas, ambos são regidas pelos mesmos princípios. O respeito, trabalho e cooperação entre a Polícia e o Exército tem que ser preservado, pois a missão é conjunta”, disse.

Sobre a conduta do soldado, Coronel Diderot informou que está apurando os fatos criteriosamente e será aberta uma sindicância a nível administrativo, onde todos os envolvidos serão ouvidos, que vai apurar a transgressão disciplinar, se for comprovado, o jovem será punido disciplinarmente (punição corretiva).

“O militar tem que agir como rege os princípios da Instituição, que preza o bom comportamento e conduta exemplar perante a sociedade, e acima de tudo tem que respeitar as leis e as ordens. Somos defensores e cumpridores”, pontuou.

O comandante frisou que o jovem envolvido é soldado engajado há 3 anos, permaneceu no efetivo do batalhão devido ao bom comportamento apresentado, mais um motivo para se apurar criteriosamente a situação ocorrida. Mas não admite erro de soldado ‘antigo’.

“Só os melhores permanecem no Exército, tanto em desempenho profissional e principalmente pela conduta exemplar e disciplinar, por isso que estou empenhado nessa investigação. Esse soldado nunca nos deu problema, mas eu não admito indisciplina, se for comprovada através da nossa sindicância, fatalmente será comprometida sua permanência conosco”, finalizou.

O 9º Batalhão Carlos Camisão rege controle rigoroso sobre as sanções disciplinares, caso seja comprovada a má conduta através da sindicância, o militar poderá sofrer punição dentro dos princípios que regem a tradição militar. Como o jovem é engajado, poderá comprometer sua permanência no Exército.

 Ainda através da sindicância, se for comprovada a gravidade da situação e ficar evidente como crime (militar), poderá evoluir para um inquérito policial militar, que poderá fazer o jovem perder a patente.
Fonte: Giselli Figueiredo - da Redação opantaneiro
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Maré reta final homenagem, 4 dias fora...

Solenidade militar homenageia a Força de Pacificação Maré
Rio de Janeiro/ RJ -CML- Quatro dias antes da retirada final das tropas federais do Complexo da Maré, foi realizada uma formatura militar em homenagem às unidades que contribuíram com as tropas componentes da Força de Pacificação durante os 15 meses da Operação São Francisco. A cerimônia aconteceu na manhã do dia 26 de junho, no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro (CPOR-RJ), e foi presidida pelo Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Villas Bôas, acompanhado pelo Comandante da Marinha do Brasil, Almirante de Esquadra Leal Ferreira. Estiveram presentes o Comandante Militar do Leste, General de Exército Fernando, oficiais generais que comandaram a Força de Pacificação Maré e demais oficiais superiores. Foram entregues diplomas de agradecimento ao Comandante do CPOR-RJ, Coronel Nascimento Gomes, ao Comandante do Centro de Transporte Logístico da Aeronáutica, Coronel Freitas, ao Comandante do Grupamento de Apoio do Rio de Janeiro, Coronel Elias, e ao Comandante do 1º Depósito de Suprimento, Coronel Alves, pelo apoio prestado à Força de Pacificação Maré. A tropa foi constituída por representações do Estado-Maior da Força de Pacificação; das Forças Sentinela, Cerrado, Aço e Furacão; Operações Especiais; Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais; Destacamento Logístico e Destacamento de Comando e Apoio. A partir de 30 de junho, o Complexo da Maré passará para a responsabilidade da Polícia Militar do Rio de Janeiro, a fim de dar prosseguimento ao processo de pacificação. Após um ano e três meses, a operação estabeleceu janelas de oportunidades para uma atuação conjunta do poder público, visando desarticular facções criminosas e alavancar as condições de cidadania da população.

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Brasil e China assinam memorando de entendimento

Memorando de entendimentos foi assinado pela Presidenta Dilma Rousseff e o primeiro ministro chinês, Li Kegiang, no Palácio do Planalto. Grupo de Trabalho Gestor (GTG) deverá estruturar a cooperação entre os dois países em projetos na área de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação. Brasil e China assinam um memorando de entendimento sobre a estrutura o Grupo de Trabalho Gestor (GTG). Esse grupo terá a tarefa de estruturar a cooperação entre os dois países em projetos na área de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação. O memorando foi um dos 35 acordos assinados na tarde dessa terça-feira (19) entre a Presidenta Dilma Rousseff e o primeiro ministro chinês, Li Kegiang, no Palácio do Planalto. Antes de assinado, o memorando de entendimento foi discutido, na segunda-feira (18) entre o pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner, com o titular da pasta de Ciência, Tecnologia e Indústria de Defesa da China, Xu Dazhe, e o diretor-geral do Censipam, Rogério Guedes. O GTG será co-presidido pelo Censipam (Brasil) e pela Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria Nacional de Defesa (SASTIND) (China). A parceria reunirá as capacidades tecnológicas chinesas e brasileiras contribuindo para a proteção do meio ambiente e para o apoio ao combate contra ilícitos, por meio do aprimoramento do monitoramento do uso e ocupação do território, bem como da proteção preventiva frente a eventos extremos da natureza. O objetivo do Grupo é cooperar e compartilhar dados de satélites ambientais, meteorológicos e de observação da terra; compartilhar conhecimento e experiência nas áreas de tecnologia da informação, telecomunicação e sensoriamento remoto; compartilhar dados e conhecimentos nos temas meteorologia, climatologia, hidrometeorologia e mudanças climáticas; cooperar nas aplicações envolvendo o uso de telecomunicações ponto a ponto e via satélite; promover a capacitação de recursos humanos nas áreas tecnológicas relacionadas e cooperar no mapeamento cartográfico e temático. O acordo entre os dois países já foi tratado no ano passado, durante a visita do presidente chinês, Xi Jinping. Aproveitando a viagem ao Brasil, os chineses estiveram na segunda-feira (18), no Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), em Brasília. Na quarta-feira (20), a comitiva estará em Manaus para visitar o Centro Regional do Censipam. O objetivo é conhecer mais de perto o trabalho desenvolvido pelo órgão na Amazônia.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Segunda etapa da Operação Tropicalex 2015

Segunda etapa da Operação Tropicalex 2015 é marcada por exercícios de tiro antiaéreo Fragatas “Liberal” e “Greenhalgh” realizando transferência de carga leve na Operação Tropicalex 2015. A segunda etapa da Operação TROPICALEX/150 ANOS DA BATALHA NAVAL DO RIACHUELO/ 2015, realizada de 15 a 19 de junho, foi marcada por exercícios de tiro. O Grupo-Tarefa da Comissão, composto pelas Fragatas “Rademaker”, “Liberal” e “Greenhalgh”, realizou Tiro Antiaéreo sobre Granada Iluminativa com canhões de 40mm e metralhadoras de 20mm e tiro sobre alvo Killer Tomato. Os exercícios foram realizados com o objetivo de manter o aprestamento dos meios navais, aeronavais e o adestramento dos militares da Marinha do Brasil. Durante essas atividades, os navios têm com a tarefa de destruir ou neutralizar uma possível ameaça aérea ou de superfície. A Operação TROPICALEX/150 ANOS DA BATALHA NAVAL DO RIACHUELO/ 2015 atuou na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES) e Salvador (BA), região da “Amazônia Azul”, que possui importância estratégica para o Brasil, pois abrange diversas Bacias Petrolíferas. MarinhadoBrasil
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Brasil irá comprar sistemas russos de defesa antiaérea Pantsir na primeira metade de 2016

O Brasil planeja comprar os sistemas russos de defesa antiaérea Pantsir na primeira metade de 2016, disse à RIA Novosti e Sputnik o embaixador do país na Rússia, Antônio José Vallim Guerreiro. “A decisão geral sobre a compra foi já tomada, por isso os sistemas serão comprados. Segundo a informação que eu possuo neste momento, a assinatura do acordo está prevista para a primeira metade do ano 2016”, disse em entrevista. Teste do Pantsir © Screenshot: YouTube Rússia testa complexo de mísseis Pantsir Antônio Guerreiro tinha declarado anteriormente que o arranjo podia ser concluído ainda em 2015, mas agora ele explicou o atraso pela razão que “no orçamento de 2015 não foram alojados recursos financeiros suficientes para pagar pelos armamentos”. O ministro acrescentou que, neste momento, se realiza o trabalho para que a provisão correspondente seja incluída na meta orçamental de 2016. O Pantsir-S1 (SA-22 Greyhound na classificação da OTAN) é um sofisticado sistema de artilharia antiaérea que conta com mísseis terra-ar de curto e médio alcance, sendo considerado um dos mais avançados do mundo. Além disso, Antônio Guerreiro também não exclui a possibilidade de compra de caças russos se a Força Aérea Brasileira achar este passo útil. sputiniknews
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Basquete do CMP vence na estréia

Basquete do CMP vence na estréia.Comissão de Desportos do Exército. Nesta segunda-feira (29) aconteceu a estreia do basquetebol nos Jogos Desportivos do Exército - 2015, que será inteiramente realizado no ginásio “Vera Cruz”, no Complexo Desportivo do Comando Militar do Planalto (CMP), em Brasília-DF. Na primeira partida do torneio o Comando Militar do Planalto (CMP) venceu o Comando Militar do Nordeste (CMNE) por 79 a 39. Com um ritmo de jogo muito forte e uma marcação eficiente, os anfitriões não tiveram dificuldades para superar a equipe do Nordeste. Destaque para o Sd Israel (CMP), cestinha da partida com 19 pontos. Próximos jogos nessa terça feira (30): 
- 15:10 – CMN x CMS
- 17:20 – CMA x CMO
- 19:30 – CML x CMSE


            o Lobo Guará, mascote do basquete nos JDE interage com o público.
                   Na foto, Sd Israel (CMP), cestinha da partida com 19 pontos.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Soldado fica ferido em acidente entre duas motos

Acidente entre motos deixa dois feridos no Bairro da Ronda. Vítimas foram levadas para hospitais da cidade Imagens: Cristiano Barbosa. Colisão aconteceu por volta das 07h e envolveu duas motocicletas - os dois pilotos sofreram ferimentos leves. Duas pessoas ficaram feridas após um acidente na avenida Almirante Tamandaré no bairro da Ronda em Ponta Grossa. A colisão aconteceu por volta das 7h de hoje (29) e mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.
Duas motocicletas se envolveram na colisão e os dois pilotos acabaram feridos. Um deles é soldado do Exército Brasileiro e foi levado ao Hospital Vicentino, a outra vítima foi encaminhada ao Pronto Socorro Municipal – ambos sofreram ferimentos leves e não correm risco de morte.
O nome das vítimas não foi revelado pelas autoridades. Afonso Verner - Ponta Grossa. arede 
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Abertura dos Jogos Desportivos 2015 - DF

Foi realizada na manhã desta segunda-feira, 29 de junho, a cerimônia de abertura dos Jogos Desportivos do Exército. Cerca de 400 militares de todo o País disputarão em Brasília, até o dia 06 de julho, cinco modalidades: atletismo, basquete, orientação, pentatlo militar e tiro.FOTO: CCOMSex
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Itu sedia exercício do Comando da Aviação do Exército

Regimento Deodoro servirá de base de pouso e decolagem das aeronaves. Cena de exercício de adestramento dos pilotos da aviação O Comando de Aviação do Exército, com sede na cidade de Taubaté (SP), realizará no período de 27 de junho a 3 de julho de 2015, em Itu e região, o Exercício de Adestramento de Pilotos de Helicópteros. Jéssica Ferrari - itu

Durante esse período, o 2º GAC L – Regimento Deodoro servirá de base de pouso e decolagem das aeronaves que estarão realizando sobrevoos na cidade para a realização do exercício.

O Centro de Instrução de Aviação do Exército (CIAvEx) é um estabelecimento de ensino da linha Militar Bélica do Exército Brasileiro. É vinculado ao Comando de Aviação do Exército (operacional) e à Diretoria de Especialização e Extensão (técnica), e visa formar e especializar os recursos humanos empregados na Aviação do Exército. Dentre eles, o curso de Piloto de Combate 2015.

O Regimento Deodoro fica na Praça Duque de Caxias, 284 - Centro - Itu/SP.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2015 - Conheça as tecnologias transferidas para a indústria pelo programa espacial brasileiro


  Concebido com o objetivo de colocar em órbita satélites brasileiros, o Projeto do Veículo Lançador de Satélites (VLS), desenvolvido no Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), tem trazido diversos benefícios para a indústria brasileira, representando autonomia e geração de recursos para o Brasil. forcaaerea.
“Os resultados indiretos desse desenvolvimento já possibilitaram conquistas tecnológicas aplicadas na exploração de petróleo, equipamentos automotivos e gerenciamento de sistemas de produção, entre outros”, afirma o Tenente-Coronel José Duarte, chefe da Divisão de Sistemas Espaciais do IAE.
Desenvolvido graças a mais de 25 anos de experiência acumulada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e a indústria nacional, o VLS-1 tem o objetivo de lançar um satélite de 200 kg a 750 km na órbita equatorial.
“O VLS-1 colocará o Brasil no seleto rol dos países capazes de projetar, fabricar, lançar, controlar, estabilizar e entregar uma carga útil em órbita terrestre. Além disso, o projeto permite elaborar tecnologias críticas, capacitando e garantindo autonomia à indústria brasileira”, explica o Coronel Duarte.
Conheça as principais tecnologias transferidas para a indústria nacional pelo programa espacial brasileiro:
Exploração de petróleo
Os conceitos de estruturas otimizadas em materiais compostos, desenvolvido no IAE, vêm sendo aplicados de maneira crescente pela Petrobras para exploração de petróleo em águas profundas, no qual a redução de peso é um fator de importância vital para equipamentos embarcados nas plataformas offshore.
Ventiladores industriais
As técnicas desenvolvidas para a produção de cascas finas estruturais permitiram a total nacionalização de diversos tipos de ventiladores industriais, equipamentos que até 1985 eram importados. Atualmente, com mais de 300 unidades operando em indústrias nacionais, o país começa a exportar o produto, ingressando num mercado de milhões de dólares.
Rotores de turbinas eólicas
Os conhecimentos de estruturas aeroelásticas, aliados aos processos de laminação a vácuo de compostos aeroespaciais, permitiram o ingresso do Brasil no mercado mundial de rotores para turbinas eólicas. Uma das mais limpas e modernas formas de geração elétrica, a energia eólica vem apresentando crescimento vertiginoso em todo o mundo. Após certificação internacional da qualidade de seus produtos, a indústria brasileira ingressou nesse mercado com turbinas operando em diversas usinas no Brasil e no exterior.
Sistemas de ventilação
As técnicas de cálculo de aerodinâmica permitiram a fabricação de sistemas especiais de ventilação de alto desempenho e baixo ruído, que hoje equipam as mais novas estações de metrô de São Paulo, com expressivas melhorias em relação aos sistemas importados da Europa.
Sistemas de flutuação
A metodologia de cálculo empregada para estruturas espaciais vem sendo aplicada nos sistemas de flutuação do robô-protótipo empregado pela Petrobras em operações especiais a grande profundidade, e também nos sistemas de geração de empuxo na extração de óleo. Protótipos desses equipamentos já foram aprovados para uso nos campos de produção da Petrobras nas costas do Espírito Santo e do Rio de Janeiro.
  Usinas de álcool
Avançadas técnicas de cálculo estrutural e os conhecimentos de mecânica de fadiga permitiram a análise detalhada, revisão de projeto e alterações em componentes críticos de usinas paulistas de produção de álcool, visando eliminar perdas de produtividade durante as fases de moagem de cana-de-açúcar.
Indústria automotiva
A metodologia de projeto e análise de componentes do programa espacial está sendo usada na modernização dos veículos nacionais. São exemplos: novos tanques de combustível de ônibus da Mercedes-Benz; vasos de pressão para estocagem de gás natural dos ônibus urbanos que começam a rodar nas grandes cidades brasileiras; laminados anti-chama para o metrô do Distrito Federal; entre outros.
Desenvolvimento de produtos
Os conceitos de engenharia de sistemas utilizados nos s
ofisticados equipamentos de apoio aos lançamentos de foguetes, como é o caso do Banco de Controle de Lançamento do VLS, feito pelo IAE e empresas brasileiras, está sendo empregado em verificações informatizadas de produtos, contribuindo para o aumento da qualidade e produtividade das empresas. Um exemplo é o conjunto de sistemas de testes eletrônicos desenvolvido para a General Motors do Brasil.
Controle e gerenciamento de processos   Os elevados padrões de controle de processos requeridos pelo programa espacial vêm propiciando a implantação em outros segmentos de controle e gerenciamento de processos especiais, facilitando, ou mesmo automatizando, a tomada de decisões. O sistema também assegura economia de recursos por meio da racionalização de estações de supervisão e gerenciamento de distribuição de energia, de telecomunicações e de fluxos de veículos. Um exemplo significativo é a implantação de postos de pedágio informatizados em São Paulo.
O programa espacial também obteve conquistas no desenvolvimento de produtos como o aço de alta resistência, o propelente sólido para motores de foguetes e materiais compostos estruturais e termoestruturais. Outro projeto importante é o Sistema Inercial Aeroespacial (SIA), considerado tecnologia crítica, já que possui alto custo de aquisição.
Conheça um pouco mais sobre o desenvolvimento tecnológico nacional coordenado pela FAB:
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
29/06/2015 - 1ª REUNIÃO DE COORDENAÇÃO DA OPERAÇÃO GUARANI 2016

29/06/2015 - 1ª REUNIÃO DE COORDENAÇÃO DA OPERAÇÃO GUARANI 2016

A 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada sediou, no período de 15 a 18 de junho de 2015, a 1ª Reunião de Coordenação da Operação Guarani. A atividade foi realizada no Centro de Operações da 1ª Bda C Mec e reuniu integrantes do Estado-Maior do Exército Brasileiro (Centro de Doutrina do Exército), Comando de Operações Terrestres, Comando Militar do Sul, 1ª Bda C Mec e da Brigada de Monte XII, do Exército Argentino, sediada em Posadas/República Argentina. Durante a reunião foram tratados assuntos operacionais e administrativos, bem como a padronização das operações a serem adotadas por ocasião do tradicional exercício combinado entre os dois países, denominado Operação Guarani, a ser realizado em 2016, em território argentino.
Como parte da programação prevista, a comitiva do Exército Argentino, acompanhada por oficiais do Exército Brasileiro, realizou visita ao Centro de Instrução de Blindados General Walter Pires, na Guarnição de Santa Maria, onde conheceu o trabalho desenvolvido por aquele Centro.
Ao final da atividade, o Comandante da Brigada de Monte XII, General de Brigada Javier Antonio Perez Aquino e o Comandante da 1ª Bda C Mec, General de Brigada Douglas Bassoli, assinaram a ata da reunião. cdotex

Fotos do Evento

 Banner do Evento


Militares que participaram do Evento


Trabalhos sendo realizados


Apresentação Gen Bda Bassoli


Visita da Comitiva Argentina ao CI Bld


Centro de Instrução de Blindados General Walter Pires


Comandante da Brigada de Monte XII, General de Brigada Javier Antonio Perez Aquino e o Comandante da 1ª Bda C Mec, General de Brigada Douglas Bassoli, assinando a ata da reunião.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
29/06/2015 - EXERCÍCIO LONE PARATROOPER 2015

29/06/2015 - EXERCÍCIO LONE PARATROOPER 2015

No período de 18 a 29 Maio foi realizado o Exercício Lone Paratrooper/15, na cidade de León/Espanha. A atividade constituiu-se num adestramento multinacional de saltos de paraquedas, com ênfase para o salto livre a grande altitude (18.000 a 25.000 pés) e infiltração com velame aberto, no qual se percorrem distâncias de 20 a 40 quilômetros desde o ponto de saída da aeronave até a área planejada para a aterragem, com o objetivo tático de acessar a área de operações com o máximo de sigilo e eficiência possíveis.
Estavam presentes no exercício equipes da Espanha, França, Holanda, Itália, Polônia e Portugal, além de uma aeronave C-130 (Hércules) da Força Aérea Americana em apoio à atividade. O Brasil participou com um oficial observador do EME e com uma equipe de saltadores da Brigada de Infantaria Paraquedista.
A participação brasileira no evento teve como objetivos o aprimoramento das técnicas e procedimentos para saltos de paraquedas a grande altitude e a projeção do Exército Brasileiro no contexto dos países integrantes da OTAN. cdoutex

FOTOS DO EVENTO

Hangar da Academia Básica Del Aire, em León, onde ocorreu o evento



Saltadores reunidos para o Briefing de um dos saltos


Condução do Briefing de um dos saltos


Inspeção dos saltadores



Embarque dos saltadores na aeronave da Força Aérea Holandesa


 Execução de um salto
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

28/06/2015 - Fraude em autorização do Exército para blindados coloca vidas em risco

Oficiais do Exército receberiam propina para autorizar venda de vidro. Autorização é necessária para vidros de carros e capacetes militares. Facebook Quem compra um carro blindado pensa que está protegido, que um ladrão pode atirar e a bala não vai passar. Mas uma fraude está colocando em risco a vida de muita gente que conta com a eficiência da blindagem. Tem empresa que está sendo acusada de pagar propina a oficiais do alto escalão do Exército para receber autorização para vender vidros blindados, e até capacetes militares, que simplesmente não cumprem o que prometem. Se alguém atirar a bala vai passar. Por dois meses, os repórteres Maurício Ferraz e Diego Zanchetta investigaram essa grave denúncia de corrupção. Quando o trânsito fica parado, muito motorista faz o seguinte: olha para um lado, olha para o outro e fica atento no retrovisor. O medo é que apareça algum ladrão. Na capital paulista, a média é a seguinte: cinco carros são roubados por hora. Uma coisa passa pela cabeça: e se o bandido resolve dar um tiro? Blindar o carro para se proteger. É isso o que muitos empresários, artistas, autoridades, profissionais de vários tipos, fazem em todo o país. Acham que estão seguros, mas pode não ser bem assim. O Fantástico revela que oficiais do Exército são suspeitos de receber propina para liberar a venda de vidros que não cumprem o prometido, não protegem como deveriam. “Uma verdadeira fraude contra o consumidor que estava se operando”, diz o procurador da Justiça Militar Cláudio Martins. Explosivos, armas, carros blindados. Quem fiscaliza esse tipo de produto controlado é o Exército. Tem que fazer todos os testes e só liberar para a fabricação e venda se estiver tudo correto. Deveria ser sempre assim. Mas o presidente da Abrablin, a Associação Brasileiras das Empresas Blindadoras, conta que ele próprio já teve que pagar propina a um militar. Laudenir Bracciali, presidente da Associação Brasileira das blindadoras: Eu tinha os documentos lá para serem liberados. Esses documentos estavam demorando muito. Eu comecei a cobrar insistentemente. Até que um dia, me fizeram uma proposta: olha, nós podemos facilitar se tiver um pagamento. Fantástico: Quanto que cobraram? Laudenir Bracciali: A pedida era de R$ 500 a R$ 1500. Fantástico: Por documento? Laudenir Bracciali: Por documento. E eu paguei R$ 500 por esse documento. Segundo o empresário, não havia nenhum problema com a blindagem dele e a propina, paga em 2013, foi só para acelerar a burocracia. Ele procurou o Ministério Público e denunciou. Fantástico: Para quem o senhor depositou? Laudenir Bracciali: O subtenente Jorge, na época. Fantástico: Na conta dele? Laudenir Bracciali: Na conta dele. Este mês, José Jorge dos Santos Filho subiu de patente e agora é primeiro-tenente do Exército. Nos últimos 14 anos, ele trabalhou na Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, em Brasília. A denúncia do presidente da Associação das Blindadoras contra o tenente Jorge se somou a várias outras, contra mais militares. Foram tantas que a Procuradoria de Justiça Militar abriu um inquérito para apurar esses crimes. Só o tenente Jorge teria recebido mais de R$ 500 mil em propina, entre 2011 e 2014. “Se nós temos facilidade para conseguir alguma coisa principalmente quando nós estamos falando de um produto que promete guardar a vida humana, isso é inaceitável”, afirma Laudenir Bracciali. As investigações mostram que, além do tenente Jorge, outros 11 militares do Exército, inclusive três coronéis, estariam envolvidos no esquema que libera produtos que não protegem como deveriam. O mercado de carros blindados está crescendo. Em média, são vendidos por mês, no Brasil, 1,3 mil veículos. O preço da blindagem vai de R$ 20 mil a R$ 80 mil. Com a ajuda da computação gráfica, fica fácil entender como é um kit completo. Dá para reforçar toda a lataria com uma manta sintética, a mesma usada em coletes à prova de balas. O tanque de combustível também pode ser revestido com essa manta e com aço inox. Já o vidro é feito intercalando camadas de materiais muito resistentes. Um deles é um plástico especial, o policarbonato. O Fantástico entrou no carro para explicar os diferentes tipos de blindagem, porque não é tudo igual, não. O nível 1 é o mais básico: nesse caso, a pessoa que está dentro fica protegida de tiros de revólver calibre .22 e .38, mas se o criminoso atirar com uma arma mais potente, aí a bala passa. Para evitar isso, a blindagem teria que ser mais forte. O nível 3A é o mais usado no Brasil. Aguenta até tiro de um revólver superpotente: calibre .44. Quem compra um blindado confia no material. O problema é que a corrupção dentro do Exército não era só para liberar documentos. A SER Glass é uma das maiores fabricantes de vidros blindados do Brasil. Está no mercado há seis anos. Em 2009, ela foi reprovada em dois testes do Exército. Os tiros de calibre .44 perfuraram o vidro nível 3A que a empresa queria vender. Só que mesmo assim: “ela fabricou e comercializou por muito tempo vidros blindados sem que ela tivesse a autorização formal do Exército Brasileiro”, conta Cláudio Martins, procurador da Justiça Militar. A SER Glass acabou conseguindo uma autorização do exército em 2010. Segundo a investigação, não houve nenhum novo exame balístico e o documento foi fraudado com ajuda de algum militar. Marissandra Gonzalez foi diretora comercial da SER Glass. Fantástico: Tinha pagamento de propina? Marissandra Gonzalez: Sim. Eu nunca participei dos pagamentos em si. Mas eu sabia que tinha muito dinheiro envolvido. A Procuradoria já descobriu que o tenente Jorge dos Santos Filho, da Diretoria de Produtos Controlados, recebeu dinheiro na conta depositado diretamente pelo dono da SER Glass, entre 2011 e 2014. O militar não quis se manifestar. “Eu não tenho autorização do Exército para dar informação nenhuma”, disse. Em nota, o advogado do tenente disse que seu cliente "jamais recebeu vantagens indevidas", que "todos os valores depositados nas contas dele têm justificativa" e que "ele só conferia a documentação, não tinha poder de decisão". As primeiras denúncias contra a SER Glass surgiram em 2012. Nesse mesmo ano, a empresa tentou conseguir uma nova autorização, já que o Ministério Público já tinha indícios de fraude na antiga. Um diretor procurou um major da reserva, com 30 anos de serviços prestados ao Exército. Segundo o militar, a proposta de corrupção foi clara. “O pedido dele era para que, de alguma forma, custasse o que custasse, eu convencesse os oficiais do Exército, que aprovasse um vidro dele”, conta Willian Carlos do Amaral Junior, major da reserva. O major Willian denunciou a SER Glass ao Exército e ao Ministério Público. “Produziam produto e colocavam a sociedade em risco”, diz. A então diretora comercial da SER Glass se casou, em 2010, com Fábio Santos, o dono da empresa. Três anos depois, eles se separaram. Marissandra já prestou dois depoimentos ao Ministério Público, afirmando que a propina chegou a ser paga em dinheiro vivo a militares do Exército. Fantástico: Os clientes não estão protegidos? Marissandra Gonzalez: Não estão protegidos. O Ministério Público de São Paulo também recebeu denúncias e começou a investigar. Em 2013, decidiu fazer um teste. De 12 vidros da SER Glass, 9 foram perfurados por tiros de calibre .44. Se fosse uma situação real, o motorista teria sido atingido duas vezes. “Eu presenciei os testes e passaram as balas. E mesmo assim, as vendas continuaram”, diz Marissandra Gonzalez. Entre os militares suspeitos de envolvimento no esquema, está o major Guilherme Bittencourt, que foi chefe dos exames balísticos do Exército, entre 2004 e 2009. Ele frequentava a SER Glass. Fantástico: Quando eles apresentaram o major para você, eles falaram o quê? Marissandra Gonzalez: Que era uma pessoa muito importante, que iria ajudar a gente dentro do processo. Mesmo estando ainda na ativa, o Major Bittencourt escreveu um parecer contestando os testes do Ministério Público nos vidros da SER Glass. O major ainda desenvolveu um projeto de um novo tipo de blindagem, para a lataria do carro. O material está sendo produzido exclusivamente pela empresa, sob instruções do militar. Isso não é permitido, diz a procuradoria. “Uma relação contratual entre um oficial da ativa e a empresa que é fiscalizada ou deveria ter sido fiscalizada pelo Exército brasileiro”, diz Claudio Martins. A convite da SER Glass, o Major Bittencourt e outros militares do setor produtos controlados do Exército assistiram de camarote a etapas do campeonato de Stock Car, em 2012. “Bebida à vontade, comida. Podia gastar à vontade. Era agradar o Exército”, diz Marissandra Gonzalez. Em uma das corridas, no Rio de Janeiro, os principais oficiais do Exército responsáveis pelos testes balísticos estavam no camarote da SER Glass. Cinco dias depois, esses mesmos militares aprovaram uma nova autorização para a empresa fabricar vidros blindados. “Mais que uma conivência, uma convivência”, afirma Cláudio Martins. O major Biteencourt não quis gravar entrevista. Mas disse que se arrepende de ter feito o parecer a favor da SER Glass, pelo qual cobrou R$ 3 mil, e negou ter recebido propina. O dono da empresa defendeu o militar. Fabio Santos: Ele, como um engenheiro, ele estava prestando uma consultoria. Fantástico: Ele é seu sócio? Fabio Santos: Não, não é meu sócio. Fantástico: Mas tem hoje uma relação comercial com ele? Fabio Santos: Não, não tenho. Ele... Não, assim. Ele desenvolveu um produto, uma tecnologia nova. E a gente começou a comercializar esse produto hoje. Fantástico: E quanto ele ganha pra isso? Fabio Santos: Ele não ganha nada. Fantástico: O senhor já pagou propina para o Exército? Para alguém do Exército? Fabio Santos: Jamais, jamais pagamos qualquer valor em propina para o Exército. Sem desconfiar do perigo, empresários, artistas, integrantes do Judiciário e até chefes de Estado já andaram em veículos que têm vidros da SER Glass. A Polícia Federal, por exemplo, comprou 36 carros blindados para transportar autoridades, como presidentes e ministros de outros países. Os veículos foram usados durante a Copa do Mundo. A responsabilidade pela blindagem era da fabricante dos carros, informou a Polícia Federal. O Exército constatou, em maio de 2013, que os vidros da SER Glass estavam irregulares. Mas, segundo o Ministério Público, nenhum foi retirado do mercado. E a venda continua. Fantástico testou os vidros blindados Nos testes oficiais, são cinco tiros. Nenhum pode furar o vidro. Como a blindagem que a SER Glass promete é nível 3A, as balas têm que ser calibre .44. Do primeiro ao quarto tiro, o vidro aguentou. Mas no quinto, blindagem reprovada. Como mostra a supercâmera lenta de outro ângulo. O Fantástico repetiu o teste, em outro vidro da SER Glass. Nesse caso, a blindagem falhou já no segundo tiro. E, depois, no quinto disparo. O Fantástico testou vidros de outras três marcas. Todos suportaram os cinco tiros, do mesmo calibre. O dono da SER Glass diz que a empresa dele tem 25% do mercado, que as denúncias foram inventadas pelos concorrentes, que a documentação está correta e que os vidros dele são seguros. “Eu me comprometo com qualquer cliente que tiver qualquer dúvida pode trazer o vidro, eu fico dentro do carro, e a gente atira”, diz Fábio Santos, dono da SER Glass. E o Major Bittencourt e o Tenente Jorge, suspeitos de envolvimento no esquema? O comando do Exército, em Brasília, informou que os dois militares receberam uma punição: foram transferidos para outros setores. Que está colaborando com as investigações e tem todo o interesse em esclarecer os fatos. Fantástico: O consumidor que comprou esses vidros ele tá tranquilo? Major Marcos Lopes do Nascimento, Diretoria de fiscalização de produtos controlados: Se o produto foi avaliado de acordo com as normas do Exército, ele pode ficar tranquilo. Fantástico: Está faltando fiscalização? Major Marcos Lopes do Nascimento: Não. Não está faltando fiscalização. O Fantástico também perguntou sobre o fato de militares frequentarem camarotes com tudo pago pela SER Glass. “Não tenho conhecimento desse fato”, diz o major Marcos Lopes do Nascimento. Mas o Fantástico descobriu que o próprio Major Lopes, esse que fala em nome do Exército, também já esteve com a família em um evento automobilístico da SER Glass, em São Paulo. Procurado nesse domingo (28) pelo Fantástico, o Exército disse que até o momento não há suspeitas de irregularidades contra o Major Lopes. Além do caso da blindagem, existe outras denúncias contra a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército. Por exemplo: a compra de 22 mil capacetes, no ano passado. O valor total: R$ 55 milhões. Nos testes oficiais do Exército, o tiro com um revólver calibre .44 não perfurou o capacete. Mas.... “Ele penetrava tão fundo que ele atingia o que se chama de placa testemunho, que fica basicamente no centro da cabeça do soldado que vai vestir aquele capacete”, revela o procurador Cláudio Martins. “Essa deformação é normal para qualquer capacete balístico, de qualquer fabricante do mundo. Os soldados estão seguros”, garante o Major Marcus Vinicius Martins, da diretoria de fiscalização de produtos controlados. Os capacetes desse mesmo modelo estão sendo usados por militares no Haiti e no Rio de Janeiro. Para comprovar a segurança, o Exército mostrou um vídeo ao Fantástico. O militar leva um tiro no capacete e sobrevive. O detalhe é que ele não é da mesma marca dos 22 mil comprados no ano passado. Esta semana, a Justiça Federal suspendeu o pagamento dos R$ 55 milhões, até a conclusão das investigações. Quanto à SER Glass, o Ministério Público quer que ela indenize os clientes e troque todos os vidros suspeitos que já foram vendidos. “Nós não estamos vendendo qualquer produto. Se houver uma falha, com certeza uma vida humana vai ser perdida”, afirma Laudenir Bracciali, presidente da Associação Brasileira das Blindadoras.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
28/06/2015 - Carro com quatro cadetes da AFA cai de viaduto na Rodovia Anhanguera

28/06/2015 - Carro com quatro cadetes da AFA cai de viaduto na Rodovia Anhanguera

Veículo ficou destruído, mas militares sofreram ferimentos leves e estão bem.

Acidente aconteceu por volta das 5h deste sábado (27), em Porto Ferreira. Do G1 São Carlos e Araraquara

Carro de cadetes ficou destruído após o acidente  (Foto: Reporter Naressi)Carro de cadetes ficou destruído após o acidente (Foto: Ademir Naressi/Repórter Naressi)
Quatro cadetes da Força Aérea Brasileira (FAB) sofreram um acidente na madrugada deste sábado (27) na Rodovia Anhanguera (SP-330), na entrada de Porto Ferreira (SP). O carro em que eles estavam caiu de um viaduto, mas todos sofreram apenas feridos leves e passam bem.
Cadetes que estavam no carro passam bem (Foto: Ademir Naressi/Arquivo pessoal)Cadetes que estavam no carro foram socorridos e
estão bem (Foto: Ademir Naressi/Repórter Naressi)
Segundo a Polícia Rodoviária, o acidente aconteceu por volta das 5h no km 202 da rodovia, no sentido São Paulo - Interior.
Os policiais contaram que o motorista do carro perdeu o controle da direção ao acessar um retorno da rodovia. O veículo bateu em uma placa de sinalização e, na sequência, caiu do viaduto.
As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhadas à Santa Casa de Misericórdia de Pirassununga. Os quatro tiveram ferimentos leves e serão levados para o hospital da FAB para mais exames.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

Papo Verde Oliva

Pesquisar

NOTÍCIAS DO SITE

Total de visualizações de página

Insira o seu endereço de email, É GRÁTIS

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

OBRIGADO PELA INSCRIÇÃO

FIQUE BEM INFORMADO - AS MAIS LIDAS