MilitaresBrasil-

29/06/2016 - C-767 é o novo avião de transporte da FAB

Boeing 767, que foi arrendado pela Força Aérea Brasileira, está pronto para ser entregue e receberá a matrícula 2900.
Está pronta a mais nova aeronave da Força Aérea Brasileira. Designado como C-767, o Boeing 767 arrendado pelo Brasil foi finalizado por uma empresa americana e deve seguir para a base aérea do Galeão nos próximos dias. Com a numeração 2900, o novo avião de transporte da FAB é uma solução temporária após a aposentadoria dos KC-137, os famosos “sucatões”.
Na FAB, eles será responsável por diversas funções “como troca do contingente militar brasileiro que atua nas missões de paz no Haiti e no Líbano, o eventual transporte de delegações e contingentes militares nos Jogos Olímpicos Rio 2016, resgate de nacionais em áreas de conflito, atividades científicas e humanitárias”, disse o comunicado da Aeronáutica no início do mês.
A aeronave alugada pela FAB por três anos e renovável por mais um foi fabricada em 1992 e voou em três companhias. Foi entregue nova para a Martinair Holland onde voou por quase 20 anos. Em 2013, foi usada pela empresa grega SkyGreece Airlines onde teve uma curta passagem pela Air Madagascar. Com o fim das operações da SkyGreece, o 767 estava parado desde agosto do ano passado.
De acordo com a FAB, o 767 foi um investimento de US$ 20 milhões e a meta é utilizar o avião durante os Jogos Olímpicos, em agosto.
Programa KC-X2
A chegada do C-767, no entanto, não resolve a necessidade da Força Aérea Brasileira em ter em seu inventário um avião próprio para transporte e reabastecimento aéreo, previsto no programa KC-X2. A licitação para adaptação do mesmo modelo Boeing 767 para o padrão KC-767, capaz de reabastecer aviões em voo, foi vencida pela empresa IAI, de Israel, em 2013, mas não há previsão de quando o governo federal assinará o contrato que prevê a conversão de três aeronaves.
Enquanto isso, apenas o lento C-130 Hercules está apto a reabastecer os caças atualmente.fonte: Ricardo Meier-AIRWAY
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/06/2016 - Capitão do Exército e dois civis são condenados por retirada e comercialização ilegal de madeira nobre

A Auditoria Militar de Curitiba condenou um capitão do Exército e dois empresários por extração ilegal de madeira da área da 2ª Companhia do 5º Batalhão de Suprimento, localizada em Palmeira (PR). Eles foram condenados pelo crime de peculato-furto, previsto no artigo 303 do Código Penal Militar. A conduta do capitão também foi enquadrada nos artigos que tratam de crime continuado e coautoria. O militar foi condenado à pena de mais de 11 anos de reclusão, com a pena acessória de inabilitação para o exercício de função pública pelo prazo de dez anos. Aos civis foi imposta a pena de sete anos e dois meses de reclusão. Pela denúncia, o capitão, que era comandante da Companhia, determinava e autorizava o corte das árvores e negociava a venda ilegal do produto com os madeireiros da localidade, entre eles, os dois outros acusados. Parte muito reduzida da madeira foi beneficiada e destinada à Companhia, porém a grande maioria do produto foi comercializada, rendendo ao capitão renda bem acima do que ele ganhava por mês no Exército. Provas colhidas junto à Secretaria da Receita Federal demonstraram variação patrimonial a descoberto, referente ao ano-calendário de 2004, indicando assim enriquecimento ilícito por parte do oficial do Exército. No período de 2002 a 2007, o movimento financeiro de sua conta foi de quase R$ 600 mil, sendo que sua remuneração no mesmo período ficou em torno de R$ 178 mil. O relatório diz que o rendimento do trabalho assalariado do militar representou apenas cerca de um terço dos valores que transitaram na sua conta bancária, sendo a grande maioria daqueles valores fruto de depósitos em cheque, depósitos em dinheiro e transferências eletrônicas. Em sua defesa, o capitão disse que tinha autorização do Ibama para derrubar oito árvores da espécie Araucária, que segundo ele seriam utilizadas em benfeitorias para a Companhia. Porém a autorização tinha validade apenas para o período de junho a agosto de 2002 e o Inquérito Policial Militar demonstrou que ele não retirou as árvores na época que a autorização vigorava, somente depois do prazo estabelecido; como também excedeu e muito à quantidade de árvores derrubadas. Segundo relatório, a autorização do Ibama permitia a execução, mas não a comercialização, tendo sido as árvores escolhidas previamente. “Saliente-se, porém, que só dessa espécie vegetal foram extraídas, por determinação do primeiro acusado, mais de 80 árvores da área da União, além de um grande número de Eucalipto e Pínus”. O laudo do Ibama indica que foram cortadas 88 Araucárias, com idade estimada superior a 50 anos; 1.070 Eucaliptos, com idade estimada superior a 35 anos; e 607 Pínus, com idade estimada em 16 anos à época do corte. A extração foi realizada nos anos de 2003 e 2004. O prejuízo material causado ao patrimônio da União foi estimado em mais de R$ 420 mil. Da decisão, ainda cabe recurso ao Superior Tribunal Militar, em Brasília (DF).  fonte: STM
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/06/2016 - Militar do Exército reage a assalto e é morto com quatro tiros no Bairro Parati

Elton Cézar Roveri, de 21 anos, foi morto a tiros na noite de ontem, ao reagir a um assalto, na Rua Hiran José Horn, no bairro Parati em  Campo Grande-Ms. Elton era soldado do Exército Brasileiro. Segundo a Polícia Civil, Elton, a namorada e dois amigos estavam em frente da casa de um deles fumando narguilé. Dois rapazes, aparentando serem adolescentes, chegaram no local, armados, e anunciaram assalto. Os criminosos queriam os celulares das vítimas. A namorada de Elton e os amigos entregaram, mas o soldado se recusou a dar o aparelho e acabou lutando com um dos assaltantes. Os dois foram parar no outro lado da rua quando o criminoso atirou quatro vezes contra Elton. O soldado foi atingido na cabeça, nádegas, tórax e virilha. Ele foi socorrido por um dos amigos até o Hospital Regional, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Policiais fizeram buscas, mas até agora os assaltantes não foram encontrados. O crime será investigado. foto: reprodução/fecebook fonte: correiodoestado
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/06/2016 - SpotMini é uma nova versão menor do robô Mancha


Fantástica tecnologia SpotMini é uma nova versão menor do robô Mancha, pesando 55 lbs pingando (65 lbs se você pode incluir seu braço.) SpotMini é totalmente elétrico (sem sistema hidráulico) e é executado por cerca de 90 minutos em uma carga, dependendo do que é fazendo. SpotMini é um dos robôs mais tranquilas que já construídos. Ele tem uma variedade de sensores, incluindo câmeras de profundidade, um giroscópio de estado sólido (IMU) e sensores de propriocepção nos membros. Estes sensores ajudaão com a navegação e manipulação móvel. SpotMini executa algumas tarefas de forma autônoma, mas muitas vezes usa um ser humano para orientação de alto nível. Para mais informações sobre SpotMini é apenas um dos mais variados existentes visite  website em fonte: www.BostonDynamics.com
confira no video :

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

23/06/2016 - Governo brasileiro comemora assinatura de acordo entre Colômbia e as Farc

O Ministério das Relações Exteriores divulgou uma nota, nesta quarta-feira (22), parabenizando o governo da Colômbia pelo acordo bilateral de cessar-fogo definitivo firmado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (FARC). O governo brasileiro classificou a medida como um "passo fundamental para o fim da violência e a pacificação definitiva da Colômbia, que representa uma vitória para todos os colombianos e um motivo de júbilo para a região como um todo". O Itamaraty lembrou ainda a importância da participação do governo cubano nas negociações de paz. A assinatura do acordo entre a Colômbia e as Farc deve acorrer nesta quinta-feira (23) na capital de Cuba, Havana. Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério das Relações Exteriores.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

22/06/2016 - CMA esclarece que onça abatida no Cigs não foi a mesma do evento da tocha

Segundo o CMA, a onça-pintada exibida ao lado da Tocha Olímpica não foi a abatida ‘Juma’ e sim o mascote ‘Simba’ - foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte Segundo o CMA, a onça-pintada exibida ao lado da Tocha Olímpica não foi a abatida ‘Juma’ e sim o mascote ‘Simba’ – foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte O Comando Militar da Amazônia (CMA) divulgou na manhã desta quarta-feira (22) uma nota esclarecendo que a onça-pintada protagonista do evento da passagem da tocha olímpica por Manaus, na última segunda-feira (20), foi a ‘Simba’, mascote do Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), unidade do Exército Brasileiro que sediou o evento, e não a ‘Juma’, conforme vem sendo amplamente divulgado pela mídia local e nacional.
 O segundo animal foi abatido com um tiro de pistola após tentar atacar um de seus tratadores, no momento em que era conduzido para a jaula. A nota informa ainda que a onça-pintada ‘Juma’, mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1ºBIS), estava, por coincidência, no Cigs no mesmo dia do evento, para realização de revisões e cuidados da saúde.
 O caso vem gerando grande comoção e repercussão nas redes sociais e na mídia em geral desde que foi divulgado, ainda na segunda-feira. Tanto que ganhou destaque na edição de ontem do Jornal Nacional, da rede Globo, e em vários sites de notícias pelo mundo.
  O fato também motivou a Organização Não Governamental de Proteção, Adoção e Tratamento Animal (Pata) a organizar, para o próximo sábado (25), uma manifestação em repúdio ao procedimento que tirou a vida do animal. O protesto vai acontecer na frente do CMA, na estrada da Ponta Negra, na Zona Oeste da cidade.
 A presidente da Pata, Joana Darc, diz que a manifestação não será contra o Exército e sim contra a prática de expor animais silvestres em eventos de qualquer natureza.
 Uma página com a hashtag #SomostodosJuma foi criada no Facebook para que as pessoas confirmem presença no protesto.
Já o Comitê Organizador da Rio 2016 emitiu nota nesta terça-feira (21) dizendo que errou ao permitir a exibição de uma onça durante a passagem da tocha olímpica em Manaus e que o episódio não irá repetir.
 “Erramos ao permitir que a Tocha Olímpica, símbolo da paz e da união entre povos, fosse exibida ao lado de um animal selvagem acorrentado. Essa cena contraria nossas crenças e valores. Estamos muito tristes com o desfecho que se deu após a passagem da tocha. Garantimos que não veremos mais situações assim nos Jogos Rio 2016”, diz o texto da organização, publicado no Twitter.

 A nota do CMA continua ressalta que “o Exército, a partir de suas unidades mantenedoras da fauna amazônica, sempre seguiu e sempre seguirá todas as condições legais previstas pelos órgãos competentes defendendo a bandeira da preservação da onça-pintada da Amazônia, que já é uma questão levada a sério pelo Exército Brasileiro e que a sociedade precisa saber, para no futuro não corrermos o risco de ter essa espécie em extinção”.

 E segue afirmando que as ações de todo militar do Exército no bioma amazônico é baseado no lema: “servir na Amazônia é um privilégio. Lutar pelo seu desenvolvimento sustentável, uma obrigação”. foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte.  Por equipe EMTEMPO Online
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

21/06/2016 - Polícia recupera veículo roubado no Brasil à serviço da Marinha Boliviana

Durante operação policial na linha da fronteira com a Bolívia no final da manhã deste sábado (18), agentes do DOF (Departamento de Operações de Fronteiras) apreenderam um veículo roubado no Brasil, com caracterização da Marinha Boliviana.
De acordo com informações da polícia, durante fiscalização dos veículos que saim de Corumbá, os policiais abordaram um veículo Ford F250, cor prata, com placas bolivianas. O automóvel estava com adesivos da Marinha Boliviana e era conduzido por Ever Inarico Gomes, de 23 anos, que se apresentou como militar.
Em vistoria no chassi e motor, foi constatado que o automóvel era produto de roubo na cidade de Curitiba, no Paraná, no dia 16 de janeiro deste ano. As placas originais também eram de Curitiba.
O caso foi registrado como recuperação de veículo objeto de roubo na delegacia de Corumbá. fonte: Clayton Neves-midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

21/06/2016 - 'Operação Ágata 11' já apreendeu R$ 1 milhão em madeira ilegal em RR

Operação ocorre desde o dia 13 de junho em toda a fronteira de Roraima. Ação visa coibir crimes fronteiriços e levar serviço social à comunidades.fonte: Inaê Brandão G1 Rr. A 11ª edição da operação Ágata, realizada pelo Exército Brasileiro, continua ocorrendo em toda a área de fronteira de Roraima e já apreendeu mais de R$ 1 milhão em madeira ilegal, desde o seu início, ocorrido no dia 13 de junho. O G1 acompanhou, nesta segunda-feira (20), um dia da operação. Veja galeria de fotos. Segundo o assessor de Comunicação da 1ª Brigada, major Rodrigo Luiz, em uma semana de ações, a ´Operação Ágata 11´ apreendeu 2 mil m³ de madeira no Sul de Roraima, sete balsas utilizadas para garimpo ilegal, destruiu quatro áreas de garimpagem e uma pista de pouso na Terra Indígena Yanomami. Além disso, nesta segunda-feira (20) dois fugitivos do sistema prisional foram capturados em barreiras terrestres do Exército, onde cerca de três mil veículos já foram fiscalizados. Além do Exército, outros 16 órgãos de segurança colaboram com a Ágata, entre elas a Polícia Militar, Polícia Federal, Funai, Ibama e Anac. ´Operação Ágata 11´ A ´Operação Ágata 11´ busca intensificar a presença do estado Brasileiro junto às faixas de fronteira, para contribuir no combate de ilícitos como o narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos, imigração ilegal e garimpo ilegal. ´Braço forte´ O 1º tenente do Exército Rafael Lima, comandante do primeiro Pelotões Especiais de Fronteira (PEF), explicou que o Exército possui duas frentes de ação. Uma chamada ´braço forte´, que visa coibir a prática criminosa, e a ´mão amiga´, que leva serviços de assistência para comunidades. Durante a Ágata, as ações contra as práticas criminosas ocorrem com bloqueios terrestres nas estradas que levam aos países que fazem fronteira com o Brasil e também por meio da patrulha fluvial. Na sede do exército em Bonfim, ao Norte de Roraima, a patrulha fluvial ocorre no rio Tacutu, que marca a fronteira entre o Brasil e a Guiana. O subcomandante do primeiro PEF, Rodrigo Braga explicou que durante a operação a patrulha é feita diariamente. "Os crimes mais comuns aqui pelo rio são o contrabando e o descaminho, sobretudo de roupas, alho e alguns outros materiais. Também fazemos apreensão de drogas e existem casos de tráfico de pessoas, mas em menor quantidade", disse Braga. ´Mão amiga´ Nesta segunda, a comunidade do Jabuti, na região da Serra da Lua, foi alvo de uma ação social do Exército. A localidade que fica há 50 km do município do Bonfim, recebeu assitência médica, odontológica, farmacêutica, vacinação antirrábica, ações educativas e recreativas. O líder indígena da comunidade, Andrade da Silva Tomás, disse que os atendimentos são importantes para as moradores, especialmente o odontológico. A dona de casa Adriana Ribeiro, de 42 anos, mora em uma vila há 20 km da comunidade e foi de ônibus até a Jabuti para ser medicada. "Tenho um problema no braço e há quase um ano não consegui tomar o remédio que preciso. Vim aqui porque é mais perto e consegui receber a medicação", disse. Segundo Andrade, cerca de 500 pessoas moram na comunidade que tem como principal fonte de subsistência o plantio de mandioca para a producão e venda de farinha.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Onça-pintada morre ao ser baleada após fuga no Cigs

JUMA -Mascote do 1º BIS, onça-pintada morre ao ser baleada após fuga no Cigs
Onça Juma foi morta após tentar atacar militar, disse o Comando. Processo administrativo irá apurar os fatos. Felino participou da cerimônia de apresentação da Tocha Olímpica no Cigs
A onça-pintada conhecida como “Juma”, que escapou da sua jaula no zoológico localizado dentro do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) na manhã desta segunda-feira (20), morreu após ser baleada com tiro de pistola. A informação foi confirmada pelo Comando Militar da Amazônia (CMA). Segundo o CMA, o animal teria avançado em um militar após ser resgatado e precisou ser abatido. A onça participou da cerimônia de apresentação da Tocha Olímpica no Cigs nesta manhã. De acordo com a coronel Evelyn, chefe da 5ª Seção de Comunicação do Comando Militar da Amazônia, do Exército Brasileiro, o felino fugiu no momento em que era recolocado na jaula. "Ela fugiu de fato. Ela fazia parte da apresentação (da Tocha Olímpica), mas escapou muito depois (da passagem) da Tocha”, disse Evelyn.
Segundo nota emitida pelo CMA no final da tarde, uma equipe de militares composta de veterinários especializados no trato com o animal foi resgatá-lo. “O procedimento de captura foi realizado com o disparo de tranquilizantes. O animal, mesmo atingido, deslocou-se na direção de um militar que estava no local. Como procedimento de segurança, visando a proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que veio a falecer”, informou a nota do Comando.
O CMA informou, ainda, que já determinou abertura de processo administrativo para apurar os fatos.

Revezamento
No evento de revezamento dentro do Cigs, os condutores da tocha interagiram com o animal, considerado o mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º BIS Amv). Eles passaram pelo zoológico do Cigs, seguiram para uma área de selva e acompanharam simulações de sobrevivência.
Segundo a coronel Evelyn, no momento que seria levada para a jaula, a onça-pintada escapou e teve que ser alvejada com um tranquilizador. “Após o evento, no momento em que a onça foi guardada, ela escapuliu da sua segurança. Teve que tomar um tranquilizante. Ela partiu pra cima de um dos militares e teve que ser alvejada com tranquilizante”, disse a militar.
A Tocha Olímpica vem fazendo passagem por Manaus desde ontem, domingo (19), quando percorreu 39 quilômetros de trajeto pela cidade, passando por ruas e avenidas principais e também pontos turísticos como a Ponta Negra e o Teatro Amazonas. fonte: Oswaldo Neto e Vinícius Leal Manaus (AM)-acritica
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - A cavalo, militares verificam 22 marcos de fronteira em área de difícil acesso no Pantanal

 Trabalho conjunto com Comando do 6º Distrito Naval.
Durante Operação Ágata 11, militares do Exército Brasileiro realizam patrulhas para verificação de 22 marcos de fronteira, que delimita o território brasileiro com a Bolívia.

Este reconhecimento de fronteira, na região do Pantanal Sul-Mato-Grossense, é uma operação militar que emprega o uso de equinos devido à impossibilidade do uso de viaturas e embarcações. 
A 3ª Companhia de Fronteira - Forte Coimbra (3ª Cia Fron/F Coimbra) tem sob sua responsabilidade aproximadamente 200 km de fronteira.
Os marcos de fronteira normalmente são usados para marcar pontos críticos na linha de fronteira entre estados ou subdivsões e em sua maioria são feitos de pedra ou betão e colocados em pontos notáveis ou especialmente visíveis do terreno. É também comum que tenham informação inscrita com a identificação dos territórios em cada lado e uma data de colocação. fonte: Danielle Valentim-midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Soldado do 11º RC Mec morre após disparo acidental em Ponta Porã

Ontem (19) o Soldado Lima de 21 anos lotado no 11º RC MEC em Ponta Porã divisa com o Paraguai morreu após levar um disparo acidental de uma pistola Beretta 9mm dentro do quartel. Segundo informações repassadas ao site Brasiguaionews o mesmo estava fazendo manutenção das armas antes de partir para a operação ‘Ágata’ que está sendo realizada nas fronteiras com o Paraguai para coibir o tráfico de drogas e armas na região.
De acordo com informações preliminares a pistola foi carregada e outro soldado que não foi divulgado o nome teria disparado acidentalmente contra a integridade do SD Lima que não resistiu aos ferimentos e faleceu. O Exército até o momento não divulgou nenhuma nota sobre o caso. o SD Lima era do assentamento Itamarati e servia o exército brasileiro em Ponta Porã onde residia no quartel e no final de semana retornava a sua casa, era casado e tinha filhos, entrou no quartel em 2014 e em 2015 se tornou soldado profissional enganjado. fonte: Shakin Nunes-brasiguaionews
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Troca da guarda presidencial é atração cultural em Brasília

Realizada a cada seis meses, a cerimônia marca o revezamento de duas unidades militares históricas na segurança dos palácios e residências oficias da presidência da República.
Duas tropas militares especiais fazem a segurança dos palácios e residências oficiais do presidente da República. Para se revezar nesta missão, a cada semestre o batalhão da Guarda Presidencial e o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas realizam a cerimônia de Troca da Guarda.
Na troca desta quinta-feira (16), com a presença de civis e autoridades militares, o Batalhão da Guarda Presidencial (BGP, o Batalhão Duque de Caxias) substituiu o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas (Regimento de Dragões da Independência) na segurança da sede do Executivo Federal. A guarda envolve a responsabilidade pela segurança das instalações do Palácio e de todos que estão nele, além da função cerimonial.
A cerimônia pode ser acompanhada de perto pelos brasilienses e turistas a partir da Praça dos Três Poderes. Simultaneamente, ocorre também a troca das guardas nos Palácios Alvorada e Jaburu e na Granja do Torto. fonte: planalto.

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - EpcAr em Barbacena passa a receber meninas em curso de formação

Das 180 vagas, 20 serão para garotas entre 14 e 19 anos. As inscrições já foram encerradas; provas serão em julho.
A Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EpcAr), em Barbacena, vai admitir, pela primeira vez, meninas em todos os anos do ensino médio em seu Curso Preparatório de Cadetes do Ar (CPCAR), a partir de 2017. Das 180 vagas, 20 serão para meninas entre 14 e 19 anos. Mais de cinco mil meninas se inscreveram
Segundo o coronel Aviador da EpcAr, José Aguinaldo Moura, a instituição precisou se preparar tanto na infraestrutura quanto em recursos humanos para receber as novas alunas. “A escola é integral e os alunos moram em alojamentos. Vamos fazer uma ala especial para meninas e aumentar os banheiros. Também vamos precisar de oficiais femininos, principalmente na área de psicologia, para amparar essas meninas novas que saem de casa e vem para cá para uma atividade mais especifica”, explica o Coronel.
Os alunos fazem os três anos do ensino médio na EpcAr, transformando-se em cadetes, para ingressarem no Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga.
Meninas de Juiz de Fora procuram cursinhos para estudar para as provas. O conteúdo é o mesmo para os meninos que concorrem às vagas: português, matemática, redação e inglês. Já o teste físico para as meninas é diferenciado e um pouco mais fácil. As inscrições já foram encerradas e as provas serão em julho. As aprovadas ingressam na escola no ano que vem. fonte: G1 Zona Da Mata
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Temer devolve aos comandantes militares os poderes que Dilma retirou


Está previsto para hoje o anúncio de que o presidente interino Michel Temer devolverá aos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica as atribuições que lhes foram retiradas pela presidente afastada Dilma Rousseff com o Decreto 8.515 de três de setembro do ano passado, que trata da direção e gestão de cada uma das forças armadas.
Ao Ministro da Defesa, em prejuízo dos comandantes militares, Dilma delegou, entre outros poderes, o de transferir para a reserva remunerada oficiais superiores, intermediários e subalternos, reformar oficiais da ativa e da reserva, promover oficiais a postos superiores e até nomear capelães militares. E o pior: os comandantes militares não foram consultados sobre o decreto.
O decreto produziu tal irritação entre oficiais superiores das três forças que Dilma, uma semana depois, acabou recuando em parte de sua decisão. Assinou uma retificação ao decreto dizendo que o Ministro da Defesa poderia subdelegar aos comandantes militares os poderes que ela havia lhe conferido. Ocorre que o Decreto 8.515 contraria a Lei Complementar 67, de 1999.
A lei dispõe que os comandantes exercerão a direção e a gestão da respectiva força (art. 4º, com a redação da LC 136/2010). Assim, Dilma não poderia delegar ao ministro competência que lei atribui aos comandantes. “O ministro não pode subdelegar competências que não poderia ter recebido por delegação, pois elas são dos comandantes”, observa o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim.
Temer revogará o decreto e a retificação assinados por Dilma. fonte: Ricardo Noblat
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
18/06/2016 - Satélite de alta resolução do Ministério da Defesa

18/06/2016 - Satélite de alta resolução do Ministério da Defesa

Para os Jogos Entra no ar, semana que vem, um satélite de alta resolução do Ministério da Defesa encomendado especialmente para a segurança da Olimpíada no Rio. Seu grau de precisão é de...meio metro.  Direto da Fonte-Sonia Racy.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

17/06/2016 - Exército diz que tanques na fronteira não têm ligação com morte

De acordo com informações do exército brasileiro, os tanques vistos nas ruas de Ponta Porã, na noite desta quarta-feira (15), depois do cenário de guerra não seria por causa do assassinato do narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, próximo ao Mercado Municipal, de Pedro Juan Caballero.
Segundo informações oficiais, o exército está na fronteira por causa da Operação Ágata, que teve início nesta segunda-feira (13) em toda a extensão fronteiriça do território brasileiro. “Caso seja necessário a presença do exército um planejamento ainda será feito neste sentido”.
As ruas de Ponta Porã se tornaram cenário de um verdadeiro filme de guerra, nesta quarta-feira (15), quando o narcotraficante Jorge Rafaat Toumani foi assassinado a tiros de fuzil quando saia de seu escritório na cidade do Paraguai.
Um grupo de pessoas fuzis AK 47 e Mag antiaérea e metralhadoras atacaram o narcotraficante, que morreu e outras pessoas ficaram feridas. Os suspeitos estariam em três veículos.

No local, além de centenas de capsulas de projéteis, a polícia também encontrou armas de grosso calibre, tais como fuzis e 50, todos de posse militar, que furaram a blindagem do Jipe Hummer, do mesmo modelo utilizado pelo exército dos Estados Unidos. Nele, estava Jorge Rafaat Toumani, vítima fatal. Vários outros ficaram feridos, dentre eles um policial identificado como Jorge Espindola. fonte: Thatiana Melo - midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

16/06/2016 - Soldado do Exército de 19 anos morre após cair de moto no SIA

Ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros mas morreu no local.

  A moto CG era guiada pelo soldado do Exército Luiz James Oliveira Tavares, 19 anos morreu após cair da moto no trecho 4 do SIA em Brasilia-DF, por volta das 17h13 desta quarta-feira (15/6) que foi atendido pelo Corpo de Bombeiros mas morreu no local. Até agora, não há informações sobre o motivo da queda dele. fonte: CB
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

16/06/2016 - Militar da Marinha reage a assalto em São Gonçalo e mata dois suspeitos

Um militar da Marinha reagiu a um assalto na manhã desta quarta-feira, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, e matou dois dos suspeitos que o renderam. O caso ocorreu no bairro da Covanca. Segundo policiais militares do 7º BPM (Alcântara), o militar passava de moto, uma Honda XRE 300, pela Rua Doutor Porciúncula quando foi rendido por quatro homens que estavam num Gol preto.
Dois deles desceram, pegaram a moto do militar e fugiram nela. Os outros dois suspeitos trocaram tiros com a vítima e acabaram mortos a tiros. O militar nada sofreu. Uma réplica de fuzil que estava com os bandidos foi apreendida. O caso seguiu para registro na 73ª DP (Neves).
Ao EXTRA, o militar contou que estava a caminho do trabalho, por volta das 7h, quando foi interceptado.
- Eles mandaram que eu deixasse a moto. Fiquei muito tenso porque estava armado e não queria confronto. Então deitei a moto no chão e corri. Nisso dois deles saíram com a moto. Os outros dois foram no carro me acompanhando - disse.
Ainda de acordo com a vítima, um dos criminosos apontou a réplica de fuzil em sua direção:
- A todo momento eles diziam que me matariam. Consegui me esconder atrás de um poste, saquei minha arma e atirei.
O militar criticou a violência no Estado do Rio.
- Sou do Piauí. Mas moro em São Gonçalo há vinte anos. Esse foi meu primeiro assalto. Mas, de um tempo para cá, venho mudando a minha rotina por causa dessa violência. Não saio mais à noite. É de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Só saio com a família na parte da manhã - relatou.
Antes de assaltarem o militar, os bandidos haviam iniciado um arrastão no bairro Santa Catarina, na Rua Arthur Bernardes, próximo ao novo fórum. Uma das vítimas, uma operadora de caixa de 26 anos, disse que estava indo trabalhar quando foi abordada pelo grupo:
- Eles apontaram uma arma para mim e me xingaram muito. Mandaram entregar a bolsa, celular e o pouco dinheiro que eu tinha. Eles estavam muito doidos e fediam a vodca.
Uma estudante, de 24, também vítima, tentou correr quando viu a outra mulher ser assaltada, mas acabou sendo alcançada pelos homens, que levaram todos os seus pertences. fonte: Ana Carolina Torres e Ricardo Rigel - extra
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

16/06/2016 - Exército reforça segurança na fronteira por causa de ‘guerra’ de traficantes

 Em Pedro Juan Caballero
O Exército brasileiro realiza a segurança na fronteira na noite desta quarta-feira (15), após o confronto entre traficantes em Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Porã, cidade a 338 quilômetros de Campo Grande.
Por volta das 18h45, um grupo fortemente armado dispararam com um tipo Mag antiárea, fuzil AK-47 e metralhadoras contra o veículo em que estava o empresário e narcotraficante Jorge Rafaat Toumani.
 O atentado aconteceu na rua Tenente Herrero com Elisa Lynch, no bairro São Gerardo, nas imediações do Mercado Municipal. Já foi confirmada a morte de Rafaat e ao menos sete pessoas ficaram feridas, entre elas um agente policial identificado paraguaio.
Rafaat estava em uma camioneta Hummer, placas OAN 927 e os autores chegaram em uma Toyota Hilux e um Ford 250. O carro de Rafatt era blindado, mas as balas atravessaram o veículo, assim como o carro em que estavam seus seguranças.
De acordo com as informações da Policia Nacional, os atiradores usaram um metralhadora .50, que é usada para abater aeronaves e foi adaptada para ser usada no veiculo, os policiais informaram que foram disparados mais de 250 tiros.  De acordo com o site Ponta Porã Informa, o crime aconteceu uma grande perseguição policial que resultou na prisão de sete pessoas. fonte: Diego Alves-midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

14/06/2016 - Brasileiro adora ser multado

Além de achar cômico brasileiro adora ser multado, por vários motivos que eu não vou citar aqui cada um avalia a si mesmo, deixo você fazer uma introspecção e ver se vale a pena a falta  de paciência, respeito, educação e intolerância para com o próximo, sendo a  negligência, imprudência e imperícia do motorista a principal razão de acidentes. resposta prontas  como "eu não sabia", ah eu achei que podia", pensei que ia dar tempo" é  rapidinho". São meras desculpas para estou vivendo a vida adoidado, dane-se quem puder... Então tá, então... Pau na moleira. Ou aprende ou aprende...
            Negligência:
  1. 1.
    falta de cuidado; incúria.

    "trata a casa e a família com muita n."
  2. 2.
    falta de apuro, de atenção; desleixo, desmazelo.

    "veste-se com n."
  3. 3.
    falta de interesse, de motivação; indiferença, preguiça.

    "n. no trabalho leva ao desemprego"
  4. 4.
    jur inobservância e descuido na execução de ato.
    Imprudência:
    1. 1.
      caráter ou qualidade de imprudente.

      "a i. de seus hábitos"
    2. 2.
      procedimento, ato ou dito imprudente.

      "cometer i. no trânsito"
    3. 3.
      jur inobservância das precauções necessárias [É uma das causas de imputação de culpa previstas na lei.].



 
             Imperícia:
  1. 1.
    falta de perícia (de competência, de experiência, de habilidade).

    "percebeu, pela i. do artesão, que era ainda um aprendiz"
  2. 2.
    dir.civ dir.pen falta de habilidade ou experiência reputada necessária para a realização de certas atividades e cuja ausência, por parte do agente, o faz responsável pelos danos ou ilícitos penais advenientes.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

14/06/2016 - Fernando Francischini agora também no youtube

Apresentação:Delegado e Dep Federal  Fernando Francischini
https://www.youtube.com/watch?v=bvHGERYZ6kw

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
12/06/2016 - Guerra sangrenta há 150 anos não termina com ameaças para MS

12/06/2016 - Guerra sangrenta há 150 anos não termina com ameaças para MS

A única guerra na América do Sul envolvendo quatro países (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) e com confronto mais violento registrado no continente aconteceu há 152 anos. A Guerra do Paraguai, que se iniciou em 1864 e só terminou em 1870, deixou rastros em Mato Grosso do Sul mesmo depois de mais de um século e meio. Para começar, se não houvesse a vitória brasileira, o Estado provavelmente pertenceria ao país vizinho.
Essa conquista nacional começou a ser desenhada com uma batalha decisiva, conhecida como Riachuelo. Os paraguaios, que eram mais fortes, acabaram perdendo nesse episódio e a defesa de uma região fronteiriça estratégica foi conquistada, mesmo sem os devidos equipamentos e estrutura que eram oferecidos à Marinha do Brasil.
A disputa naval foi travada em 11 de junho de 1865. Neste sábado (11), completou-se 151 anos dessa vitória que ajudou a manter o então Mato Grosso anexado ao país.
Naquele ano, a Marinha, que veio se instalar em Ladário em 1873, conseguiu vencer as tropas paraguaias no rio Riachuelo, um afluente do rio Paraná que fica em território argentino e é caminho para acesso ao mar. A conquista, considerada a mais importante para a força brasileira, tornou-se motivo de orgulho, mas revelou também deficiências que perduram com o tempo.
Comandante do 6º Distrito Naval, Contra-Almirante Petronio Augusto. Foto - Divulgação / Marinha do Brasil. O Contra-Almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, comandante do 6º Distrito Naval de Ladário, há 39 anos na Marinha, disse que a data que marca a vitória da Batalha do Riachuelo precisa ser lembrada e celebrada para não se esquecer das ameaças que as regiões fronteiriças continuam passando.
"O mundo mudou da época da Guerra do Paraguai. As ameaças também. Temos hoje o crime organizado e o terrorismo como preocupações", destaca.
DESPREPARO DE SÉCULOS
O paralelo entre o passado e o presente mostra que as forças de proteção do país não tinham, e ainda não tem, estrutura adequada em caso de ataque.
O Paraguai era dono da melhor frota fluvial da América do Sul, enquanto o Brasil contava com navios preparados para navegar no alto mar, mesmo tendo uma extensa área fluvial a ser monitorada.
O país dependia muito mais da atuação de seus combatentes, do que dos equipamentos que eram oferecidos pelo governo, que na época era do Segundo Reinado.
"Precisamos pensar mais em defesa, tanto no militar como na segurança pública. Temos que estar prontos para defender nossos interesses", alerta o Contra-Almirante, comentando sobre a situação atual e o que aconteceu há mais de um século.
COMO SE CHEGAR À VITÓRIA
Indicação do local onde foi travada a Batalha do Riachuelo. Reprodução / Marinha do Brasil.
A Vitória na Batalha do Riachuelo é atribuída a dois fatores importantes. Um foi o erro da tropa paraguaia que pretendia fazer ataque na madrugada, surpreendendo navios brasileiros em uma noite de neblina, aproveitando que a Marinha não tinha a melhor estrutura para navegar em rio. A estratégia não deu certo e o Paraguai só chegou ao local da batalha na manhã, eliminando o efeito surpresa.
O segundo está atrelado ao desempenho de Francisco Manoel Barroso, o Almirante Barroso. Ele comandou a força naval brasileira em 11 de junho de 1865. Depois de escapar da armadilha, retornou à foz do Riachuelo e com a Fragata Amazonas derrotou os adversários. Com isso, a passagem para o Oceano Atlântico não foi tomada pelo Paraguai e se manteve no domínio brasileiro.
"Fazemos questão de cultuar alguns valores. Nessa época de comemoração da Batalha do Riachuelo abrimos a Marinha para a população e tentamos mostrar o que foi preciso para vencer. O Almirante Barroso mostrou moral, comprometimento, ética, propósito e resiliência. Achamos importante que as pessoas saibam disso", opinia o Contra-Almirante Petronio.
O QUE NÃO MUDOU
Parte da frota naval do 6º Distrito de Ladário. Foto - Divulgação / Marinha do Brasil
.
A atuação da Marinha resultou na manutenção do atual Mato Grosso do Sul como território brasileiro. Mas as falhas do passado, envolvendo a falta de estrutura, perdura. "O Brasil não estava preparado para a guerra", reconhece o atual comandante do 6º Distrito Naval de Ladário. "Hoje as ameaças são outras, mas ainda precisamos pensar mais em defesa", completa.
Apesar de constitucionalmente a Marinha não atuar no combate direto ao tráfico internacional de drogas, tráfico de pessoas, atuação do crime organizado na fronteira e mesmo terrorismo, existe o trabalho de inteligência do 6º Distrito Naval que procura monitorar a região, tanto no Estado como em Mato Grosso.
Como a força militar tem estrutura naval mais eficiente do que outras corporações que atuam na fronteira, tais como Polícias Federal, Militar, Civil e Militar Ambiental, existe a possibilidade de trabalho conjunto. Essa parceria está sendo mais amplamente sendo feita com a Polícia Militar Ambiental.
GUERRA ONDE TODOS PERDERAM
A historiadora e professora em Ladário, Terezinha Assad, analisa que o conflito teve vitória bélica, mas todos os lados sofreram derrotas.
"O Paraguai deixou de ser a grande potência da América do Sul que era, o país perdeu uma grande parte de sua população e a sua economia foi devastada. O Brasil, embora vitorioso, teve também grandes prejuízos financeiros com o conflito", indica.
Para conseguir manter-se em combate ao longo de seis anos o país pegou empréstimos estrangeiros, principalmente da Inglaterra.
Corpos de paraguaios no campo, em imagem de 1866. Foto - Fundação Biblioteca Nacional.
 
 
 
O Paraguai, que até a época estruturava-se como uma potência, inclusive industrial, perdeu em torno de 300 mil pessoas. Estima-se que 90% era da população masculina maior de 20 anos. A fome e probreza disseminaram no país vizinho e não houve recuperação mais de 150 anos depois.
Nesse período, a economia do país foi trocada de produtos manufaturados para produção agrícola, porta aberta para o contrabando e um dos maiores produtores de maconha da América do Sul, além de ser o principal fornecedor da droga para o Brasil. O caminho para esse entorpecente ser distribuído passa justamente por Mato Grosso do Sul.
"Passados 150 anos da Guerra do Paraguai, outros tipos de questões fronteiriças estão aí e que precisam ser refletidas, como é o caso dos 'brasiguaios' (há conflito envolvendo brasileiros e seus descendentes que vivem no país vizinho com os nativos por conta de terra), a questão do uso da energia da Usina de Itaipu, o preparo das forças navais brasileiras para enfrentar um conflito externo, a questão do contrabando de mercadorias, e os tráficos de drogas, armas e de pessoas. São questões que não podem ser relegadas ao esquecimento", fonte: Por RODOLFO CÉSAR - CORREIODOESTADO
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

11/06/2016 - Brasil e Paraguai assinam acordos aéreo e para construção de ponte rodoviária

Na primeira visita internacional recebida pelo governo interino do presidente Michel Temer, o Brasil assinou hoje (8) dois acordos bilaterais com o Paraguai, um na área de aviação e outro para construção de uma ponte rodoviária internacional sobre o Rio Paraguai, entre as cidades de Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (Departamento do Alto Paraguai).
O ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga, agradeceu o convite do governo interino brasileiro e disse estar “consciente” de todos os acontecimentos políticos ocorridos no Brasil. Ele ressaltou o interesse do governo paraguaio em aprofundar as relações comerciais e a cooperação entre os dois países.
O ministro das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, afirmou que o fato de o Paraguai ter sido o primeiro país a visitar oficialmente o Brasil após o afastamento da presidenta Dilma Rousseff, pelo Senado no processo de impeachment, ressalta a importância da relação entre os países vizinhos.
“São relações centrais para o Brasil, que se assentam em bases históricas e têm um forte componente humano. Compartilhamos uma longa fronteira. Cerca de 300 mil brasileiros vivem no Paraguai, a segunda maior comunidade de brasileiros no exterior. Nossos vínculos têm-se fortalecido nos últimos tempos, de maneira ampla e diversificada”, acrescentou Serra.
Negócios
Além dos acordos assinados hoje, Serra informou que o Brasil pretende ampliar os negócios com o Paraguai, removendo barreiras não tarifárias e também a parceria na prevenção e combate ao contrabando, tráfico de drogas e de armas.
“Devemos também buscar avançar em outras iniciativas. É fundamental que aproveitemos o potencial hidroviário em nossa região. Brasil e Paraguai estão dispostos a aproveitar melhor o potencial de circulação na Bacia do Prata.”
Sobre o Mercosul, Serra disse haver “ampla convergência” entre Brasil e Paraguai quanto a urgência em avançar na agenda de negociações externas do bloco.
“Conversamos sobre troca recente de ofertas iniciais entre Mercosul e União Europeia. Trabalharemos intensamente para chegar a um acordo equilibrado e vantajoso para o Mercosul. Como já disse, a reciprocidade é a condição para um bom acordo”, destacou o ministro brasileiro.
Acordos
O acordo para início do projeto de construção de uma ponte rodoviária internacional sobre o rio Paraguai foi assinado Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), pelo lado brasileiro, e o Ministério de Obras Públicas e Comunicações, pelo lado paraguaio. Os custos decorrentes da elaboração dos estudos, projetos e construção da ponte serão compartilhados igualmente pelos dois país.
Para Serra, a construção da ponte será “fundamental” para viabilizar a ligação rodoviária entre os portos de Santos, no Brasil, e de Iquique e Antofagasta, no Chile. “Avançar no tema da integração física com o Paraguai ajudará à integração entre nossos países, mas também ampliará a conexão do Cone Sul com o resto da América do Sul e com as regiões mais dinâmicas da economia mundial”, afirmou Serra.
O acordo na área de aviação prevê, entre outros pontos, que empresas aéreas brasileiras e paraguaias terão o direito de sobrevoar o território dos países sem pousar, fazer escalas no território da outra parte, para fins não comerciais, fazer escalas nos pontos das rotas especificadas no Quadro de Rotas, para embarcar e desembarcar tráfego internacional de passageiros, bagagem, carga ou mala postal separadamente ou em combinação.
Além disso, o acordo estabelece que nenhum dos dois países cobrará ou permitirá que sejam cobradas das empresas aéreas designadas tarifas aeronáuticas superiores às cobradas de suas próprias empresas aéreas que operem serviços aéreos internacionais semelhantes.
Intercâmbio
Cada país, reciprocamente, isentará uma empresa aérea designada da outra parte, em conformidade com a legislação nacional, de restrições sobre importações, direitos alfandegários, impostos indiretos, taxas de inspeção e outras taxas e gravames nacionais que não se baseiem no custo dos serviços proporcionados na chegada, sobre aeronaves, combustíveis, lubrificantes e suprimentos técnicos de consumo.
Segundo o Itamaraty, o Brasil é o principal destino das exportações paraguaias e o principal fornecedor de produtos para o Paraguai. Em 2015, o intercâmbio bilateral alcançou US$ 3,3 bilhões. O comércio bilateral é caracterizado por elevada porcentagem de produtos de alto valor agregado. No ano passado, 93,7% das exportações brasileiras para o Paraguai foram compostas de produtos manufaturados. Ivan Richard - Repórter Da Agência Brasil

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

11/06/2016 - Preso por desobedecer blitz na Vila Militar

Diretor de Cadeia Pública é preso em flagrante por não parar em blitz na Vila Militar.

Foto da Guarita da cadeia Pública Jorge Santana, em Bangu, feita em 2002 Foto: Arquivo/Divulgação
Carolina Heringer
O diretor da Cadeia Pública Jorge Santana, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio, foi preso em flagrante, na tarde de ontem, na Vila Militar, em Deodoro, na Zona Oeste do Rio. De acordo com a assessoria do Comando Militar do Leste, Alexsander Evaristo da Silva não parou num posto de bloqueio montado por militares do Exército Brasileiro e foi autuado em flagrante por resistência, desobediência, desacato e ameaça.
Ainda segundo a assessoria, o diretor estava na direção do veículo que não parou. Com ele, estava o inspetor penitenciário Walter de Almeida Junior, que também foi preso. Ele foi autuado por desobediência e resistência.
De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Alexsander alegou que voltava do trabalho e, por seu carro ser blindado e com película escura, não percebeu o sinal de parada dos militares. Ao encostar o veículo, teria ocorrido “uma conversa mais exaltada” e o comandante militar que estava no quartel deu ordem de prisão ao inspetor.
O caso está sendo apurado pela Corregedoria Interna da Seap.
fonte: extra

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

10/06/2016 - Apesar do cancelamento do “Arraiá Du Zé Cuturno” show será mantido por questões contratuais

Uma das festas juninas mais tradicionais de Campo Grande, o “Arraiá Du Zé Cuturno”, que estava previsto para acontecer neste final de semana na Capital não se realizará.

Em nota, o Ministério de Defesa do Exército Brasileiro do Comando Militar do Oeste, de Campo Grande informou que em virtude do acidente ocorrido na tarde da última quinta-feira (9), e em consideração ao luto da família do Sargento Guilherme Pereira Gomes, a festa junina “Arraiá Du Zé Cuturno” foi cancelada.

Apesar disso, por questões contratuais o show musical “Arraiá” será mantido normalmente, em virtude de questões contratuais. O evento será realizado neste sábado (11), às 22 horas, no salão do Círculo Militar da Capital. fonte: capitalnews
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
10/06/2016 - Construçãode ponte de madeira semi permanente com 93 (noventa e três) metros de comprimento

10/06/2016 - Construçãode ponte de madeira semi permanente com 93 (noventa e três) metros de comprimento

Boa Vista (RR) – O 6º Batalhão de Engenharia de Construção (6º BEC), após reconhecimento do local, está em fase de mobilização para a Operação Estirão do Equador, que ocorrerá no município de Atalaia do Norte, localizado no Estado do Amazonas, na fronteira com o Peru.
 
A Operação originou-se devido à necessidades logísticas do Programa Calha Norte, sob a coordenação do Ministério da Defesa, e tem como objetivo principal a manutenção da soberania da Amazônia, contribuindo com seu desenvolvimento ordenado e sustentável, por meio de obras estruturantes. Dessa forma, o 6º BEC recebeu a missão de remover os escombros da ponte sobre o Igarapé Serraria e construir uma nova ponte semipermanente de madeira, com 95 metros de comprimento, 5 metros de largura e 10 metros de altura. O Batalhão irá, também, realizar melhorias nas instalações do 4º Pelotão Especial de Fronteira.
  O efetivo a ser empregado será de 32 militares do 6º BEC, três do 8º Batalhão de Infantaria de Selva e um militar da 21ª Companhia de Engenharia de Construção. O transporte fluvial precursor do material será realizado pelo Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia e está previsto para ser realizado no dia 3 de março deste ano.


Conforme planejamento, a ponte estará em condições de transitabilidade até o dia 3 de fevereiro de 2017.
Fonte: 6º BEC/EB 
 Após concluídas as fases de reconhecimento de Engenharia, como o itinerário fluvial e rodoviário para acesso à ponte, e de uma grande operação logística, caracterizada pelo grande volume de meios transportados, como foi o caso do transporte de cerca de 1.000 toneladas de material (madeira para a construção da ponte, bate-estaca, equipamentos de engenharia, viaturas e combustível), até o local em que será construída a ponte, foi dado início a uma nova fase, fundamental e desafiadora da operação Estirão do Equador. Foram mais de 60 dias de concentração, embarque e transporte do material e de pessoal.
 
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

10/06/2016 - STM condena, a seis anos de reclusão, dois homens acusados de roubar escopeta de quartel do Exército em Goiás

O Superior Tribunal Militar condenou um ex-soldado do Exército e um civil por roubo de armamento do 6º Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes e Campo de Instrução de Formosa (6º GMF), na região do Entorno do Distrito Federal.
Após o roubo de uma escopeta calibre 12, um dos réus tirou fotos e postou em redes sociais. Ambos foram condenados a seis anos de reclusão, em regime semiaberto.
Segundo a denúncia do Ministério Público Militar, no dia 9 de janeiro de 2015, por volta das 4h30 da manhã, os denunciados, um deles soldado do Exército e que servia no próprio quartel, entraram nas instalações do Grupo de Foguetes, armados com um revólver. Eles renderam a sentinela de um dos postos e roubaram uma espingarda calibre 12, Mossberg, de propriedade do Exército Brasileiro.
Depois do crime, ambos fugiram para o  bairro Padre José e de lá seguiram para a cidade de Formosa, onde a arma foi escondida debaixo de um colchão, na casa de um dos acusados.
Três dias depois, após investigações, homens do Exército chegaram à residência do militar e o prenderam em flagrante, além de apreenderem a arma. Ele, posteriormente,  informou sobre a participação do segundo acusado, que era um amigo de infância.
Os dois foram denunciados à Justiça Militar Federal, pelo crime de roubo qualificado, previsto no artigo 242, § 2º, do Código Penal Militar (CPM). Em juízo, o réu  militar afirmou  que a denúncia era verdadeira e defendeu-se dizendo que não combinou nada com o segundo acusado, mas, no dia dos fatos, recebeu a visita dele, que o convidou para ir ao quartel e lá subtrair a espingarda, tendo aceitado, pois sua “cabeça era fraca”. 
Em outro depoimento, o então soldado negou o crime e disse que comprou o armamento de um homem conhecido na área, na rua em que morava, pelo valor de R$ 1.500. Segundo contou, queria se precaver contra as ameaças feitas por um desafeto, que já havia tido problemas com outros amigos seus. 
Julgamento na Justiça Militar 
No julgamento de primeira instância, na 1ª Auditoria de Brasília, os réus foram condenados, por unanimidade de votos do Conselho Permanente de Justiça, a seis anos de reclusão, com o regime prisional inicialmente semiaberto e o direito de apelar em liberdade.
A defesa recorreu da decisão ao Superior Tribunal Militar. O defensor público federal sustentou que o simples fato de o armamento ter sido encontrado na casa do soldado - licenciado do Exército em junho 2015 -, onde também morava o segundo acusado, não tinha o condão de, por si só, incriminá-lo pelo roubo qualificado, impondo-se a absolvição e, subsidiariamente, a desclassificação para o crime de receptação.
Já o advogado constituído do réu civil pediu a reforma da sentença, afirmando haver insuficiência de provas quanto à autoria, bem como a circunstância de não ter o apelante ingressado no quartel, portando arma ou sido o mentor do delito, tendo apenas recebido o armamento do outro lado da cerca e tendo participado da fuga. Pleiteou também a aplicação da pena em seu mínimo legal, tendo em vista a primariedade, os bons antecedentes e a confissão, reveladora de sua cooperação.
No entanto, ao apreciar o recurso no STM, o ministro relator, Artur Vidigal de Oliveira, negou provimento e manteve inalterada a sentença do juízo de primeiro grau.  Para o ministro, o ex-soldado trouxe uma versão totalmente isolada e não arrolou qualquer das testemunhas referidas em seu depoimento, nem mesmo a pessoa mencionada no interrogatório que supostamente lhe havia emprestado a quantia de R$ 800.
“Causa estranheza a circunstância dele ter se ausentado do quartel, sem autorização, no dia dos fatos, bem como ter falsificado uma assinatura de um chefe militar, comandante de subunidade, para poder sair do quartel no curso da apreensão conduzida pelo 6º GLMF”, disse.
O relator informou que, em dados obtidos após a quebra do sigilo telefônico dos réus, verificou-se que vários contatos telefônicos foram efetuados entre os números pertencentes a ambos os réus na madrugada do roubo, às 02h15, 02h54 e 02h57. O crime ocorreu por volta das 4h30min.
“Além de tudo o que foi demonstrado, há que se considerar, ainda, que o réu era militar da ativa ao tempo do crime; portanto, conhecia a rotina do quartel, as peculiaridades do serviço e de cada um de seus postos, inclusive suas vulnerabilidades e, até mesmo, as características pessoais das sentinelas que estavam escaladas para aquele determinado posto de serviço. Ora, todos esses fatos apontam que foi ele quem procedeu ao roubo, contando com a participação do amigo, que prestou-lhe o apoio necessário ao sucesso da empreitada, porquanto permaneceu atrás da guarita para observar possíveis aproximações ou interferências externas”, votou Artur Vidigal.
Por unanimidade, os demais ministros do STM mantiveram a sentença de primeira instância.  fonte: STM
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

09/06/2016 - Procurado por participação na morte de sargento se entrega a polícia

Ele é acusado de matar com um tiro na cabeça o sargento da Aeronáutica Melquizedeque Paixão Dias, 33 anos.
Wenderson Matos da Silva, 22, se entregou na manhã desta quinta-feira (9), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros. 

Procurado pelo crime de homicídio, Wenderson Matos da Silva, 22, se entregou na manhã desta quinta-feira (9), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste.
Ele é acusado de matar com um tiro na cabeça o sargento da Aeronáutica Melquizedeque Paixão Dias, 33 anos. O crime ocorreu na última segunda-feira (6), por volta das 18h30, na rua Ramos Ferreira, Centro.
De acordo com o delegado Ivo Martins, titular da DEHS, Wenderson se apresentou na companhia de um advogado e prestou o primeiro depoimento sobre o crime. Segundo Martins, ele confessou ser o autor do disparo que matou o sargento, porém as informações sobre como ocorreu o crime são diferentes das fornecidas pelo soldado da Base Aérea Brendo Silva da Silva, de 22 anos. O militar já está preso na sede da DEHS.
Segundo o delegado, Wenderson foi liberado logo após o término do depoimento, pois o mandado de prisão contra ele ainda não havia sido expedido pelo judiciário. “Quando prendemos o Brendo em flagrante, nós comunicamos a justiça e pedimos a prisão do Wenderson, mas ainda não foi expedida e, por isso, ele foi liberado”, explicou e disse que assim que o mandado for expedido, Wenderson será preso e conduzido a cadeia pública. fonte: acritica

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

09/06/2016 - Boca aberta

Os bocas abertas  reclamam de tudo e de todos... jogo a "m" no ventilador depois ficam perguntando cadê as notícias, porque está sumido e o que aconteceu, porque parou?, é, pra caba  mesmo viu... 
No que está pensando?   tem gente que acredita nisso e rasga o verbo ofendendo tudo e a todos, não se importando com a ética, a moral, família, amigos enfim as crianças. Amigo, tenho uma coisa para te contar ao pé do ouvido. La vai!  A sua personalidade refrete muito daquilo que você fala, escreve e pensa, simples assim. Você está refletindo exatamente aquilo que está expondo nas suas atitudes, gestos e palavras, portanto não se comporte como um azêmola, ainda que não concorde com determinadas opiniões temos que respeitar para ser respeitado e o seu direito começa quando termina do outro. 

          Se o texto não serviu pra você, desde de já peço desculpas, mas eu precisava...
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

09/06/2016 - Marinha suspende busca por marinheiro desaparecido


Após cinco dias, a Marinha suspendeu na noite da última quarta-feira (8) a busca pelo militar tripulante do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico. Ele desapareceu no último dia 2 em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo.
Segundo a Marinha, apesar da suspensão das buscas, os navios que transitam pela região continuarão em alerta.
Até o momento, não há informações sobre o que aconteceu com o militar Bruno Martins do Nascimento Santos, de 19 anos. O caso é investigado pela Polícia Federal. Do G1 Vale do Paraíba e Região.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

09/06/2016 - CMO explica mudanças do Exército na fronteira

Diante de informações que circularam desde terça-feira na fronteira com a Bolívia, de fechamento de uma unidade do Exército Brasileiro (EB) em Corumbá, o Comando Militar do Oeste (CMO) emitiu nota ontem explicando as transformações que estão sendo promovidas pelo Ministério da Defesa naquela região, com mudanças que atendem à atualização da Concepção Estratégica do Exército, subsidiadas por indicações provenientes do setor de Diagnóstico Estratégico e de Cenários Prospectivos do EB.
Segundo a nota, o objetivo das transformações é de organizar as Forças Armadas em monitoramento-controle, mobilidade e presença, que já tem sido realizado ao longo de toda a fronteira oeste, com a criação de pelotões especiais de fronteira em substituição aos antigos e "modestos" destacamentos de fronteira e ainda, com a instalação de uma extensa rede de equipamentos e de sensoriamento pelo Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), promover a modernização dos meios de deslocamento terrestre, fluvial e aéreo e um aprimorado adestramento das tropas na região.
Nesse contexto, segundo o CMO, são as seguintes as transformações da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, de Corumbá, de Comando da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira em Comando do Grupamento de Fronteira e transferido para Campo Grande, o que permitirá uma melhor coordenação de comando e apoio logístico para todas as Organizações Militares sediadas na fronteira e na integração com órgãos e instituições de segurança pública, ambientais e de vigilância sanitária.
Na nota, o CMO considera importante ressaltar que a antiga e a nova estrutura executam tarefas de comando e controle, não interferindo na capacidade operacional, ao contrário, facilitando suas coordenações com sede na Capital, onde se encontram os níveis de coordenação dos órgãos citados. O 17º Batalhão de Fronteira, com sede em Corumbá, por sua vez, terá sua estrutura majorada para otimizar seu emprego operacional; a 2ª Companhia de Fronteira, em Porto Murtinho, terá seu efetivo reforçado com um Pelotão Especial de Fronteira, aumentando substancialmente seu poder de combate e a 3ª Companhia de Fronteira (Forte Coimbra) será transformada em Pelotão Especial de Fronteira, com a substituição dos efetivos administrativos por pessoal operacional, com uma estrutura mais ágil e eficiente, inteiramente voltada para as operações de fronteira.
Dessa forma, de acordo com o CMO, não haverá diminuição dos efetivos do segmento operacional, que serão aumentados, nem solução de continuidade no cumprimento das missões de vigilância estratégica, repressão aos ilícitos transfronteiriços e de garantia da lei e da ordem, atribuídas às Organizações Militares de Fronteira.
E, por fim, o CMO reitera que as alterações a serem implantadas buscam atender o que preconiza a Estratégia Nacional de Defesa no que diz respeito a manter Forças Armadas modernas, integradas, adestradas e balanceadas, com crescente profissionalização, operando de forma conjunta e adequadamente desdobradas no território nacional.
As transformações estão sendo realizadas sob o comando do general de Exército Paulo Humberto Cesar de Oliveira, comandante Militar do Oeste, que assumiu o cargo no ano passado e vem administrando as unidades subordinadas com as metas de modernização do Exército Brasileiro nas áreas de atuação do Sisfron. fonte: progresso
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

Papo Verde Oliva

Pesquisar

NOTÍCIAS DO SITE

Total de visualizações de página

Insira o seu endereço de email, É GRÁTIS

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

OBRIGADO PELA INSCRIÇÃO

FIQUE BEM INFORMADO - AS MAIS LIDAS